Aprenda a meditar, excelente video

MSG

Quem Somos

Somos pessoas que acreditam na liberdade de expressão, pessoas que possuem a mente aberta e que independente da raiz estelar que podemos ter vindo, acreditamos que todos somos 1, Amamos a fonte Criadora, amamos a Natureza e a viva mãe Gaia (Terra), não possuímos qualquer placa religiosa por entender que as pessoas se unem pelo amor e não pela placa, no final das contas somos meros 22 gramas nem mais nem menos, o que importa eh a luz que conseguimos irradiar.
Acreditamos sim ter nossas raízes vinda das Plêiades, mas acima disso, acreditamos no poder do infinito onde entendemos que somos mágicos e que a vida tanto na terceira dimensão como em outras eh sempre uma lição a qual vamos sempre aprender coisas novas e fazer novos amigos/irmãos.
Bem Vindos ao Blog dos Plêidianos com AMOR os Saudamos sintam-se em casa.
Luara, Graciano, Priscila e Raquel
❥✫✫✫...¸.•°*”˜˜”*°•.ƸӜƷ ...❥✫✫..¸.•°*”˜˜”*°•.ƸӜƷ ♥ ░░ ♥ ♪ღ♪ ❥✫✫✫...¸.•°*”˜˜”*°•.ƸӜƷ ...❥✫✫..¸.•°*”˜˜”*
Dica: Ouçam nossa playlist ;)


Seja Feliz !

Seja Feliz !
Seja Feliz !

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O que é Kundalini? O DESPERTAR DA KUNDALINI? BENEFÍCIOS DA ATIVAÇÃO DA KUNDALINI? SINTOMAS DO DESPERTAR DA KUNDALINI

Fonte: http://reiki.conhecendo.com.br/kundalini.htm


O QUE É KUNDALINI?



Kundalini é o poder do desejo puro dentro de nós. A energia de nossa alma e de nossa consciência. A emanação do infinito, da energia cósmica que vibra dentro de cada ser humano. Como energia criativa,o Kundalini pode ser imaginada a uma serpente enroscada e adormecida na base da coluna e, que ao ser despertada, expande de forma extraordinária nossa consciência.

A palavra sânscrita tem sido traduzida de várias maneiras, em geral por aqueles que não têm uma concepção real, seja ela qual for, da função que é a sua marca. Supõe-se que a raiz da palavra seja o verbo kund, que significa "queimar". Este é o significado essencial, pois a kundalini é Fogo em seu sentido de abrasamento. Contudo, temos uma explicação adicional para a palavra no substantivo kunda, que significa orifício ou cavidade. Isso nos dá uma idéia do recipiente onde o Fogo arde. Mas há muito mais do que isso. Há também o substantivo kundala, que significa bobina espiral, anel. Temos aqui um noção do modo pelo qual o Fogo atua e se desenvolve. A palavra kundalini se originou de todos esses derivados, que atribuem uma feminilidade criativa ao Fogo, o Fogo Serpentino, como algumas vezes é chamado, o poder criativo feminino que está adormecido dentro de uma cavidade, dentro de um útero, despertando para o movimento rítmico da impetuosa subida e para a emissão de torrentes de fogo. Ela é uma palavra que significa o aspecto feminino da força criativa da evolução, força esta que jaz adormecida, em sua potencialidade específica e muito particular, como que em posição fetal em um útero, na base da espinha dorsal humana.





Kundalini é a potencialidade que todos nós temos e somos capazes de ser.

O despertar da energia Kundalini nos conscientiza de nossas capacidades criativas e torna possível a nós, seres humanos, com identidades finitas, a oportunidade de nos relacionarmos com nossas identidades infinitas. Isto ocorre quando o nosso sistema glandular é ativado junto ao nosso sistema nervoso e estes são combinados para criar um movimento ou fluxo no fluído espinhal, numa sensitividade nas terminações nervosas. Nestas condições, o cérebro recebe os sinais e os integra obtendo como resultado, uma forte percepção que se expande numa tremenda claridade. Pode-se perceber os efeitos e os impactos de uma ação antes dela acontecer e assim, adquirimos o poder da escolha de agir ou não. A consciência nos dá esta escolha e a escolha nos dá liberdade.

Quando há um fluxo constante da Kundalini, é como se estivéssemos nos despertando de um longo cochilo. Deixamos de viver numa realidade imaginária e nos tornamos compromissados com nossos propósitos e metas, aproveitando muito mais os prazeres da vida.

domingo, 20 de outubro de 2013

O que é egregora?

Dica de musica para acompanhar a leitura, ;) 


Egrégoras espirituais.


por Cristina Longhi - jornadasdaalma@gmail.com



Egrégora virou um termo comum, mas muita gente não sabe exatamente o que significa ou mesmo como manter uma egrégora e por isso resolvi escrever sobre este assunto.

Quando se forma um campo energético ou espiritual com um fim específico, cria-se uma egrégora, como se fosse um campo de forças ou energias acumuladas em um certo espaço físico ou não.

Mas para que elas servem e como utilizá-las da melhor forma?


Sua finalidade é concentrar energia para que a força seja mantida e assim energias ou seres com a mesma freqüência energética possam se aproximar e se manter. Podemos também fazer com que esse campo de força energética trabalhe a nosso favor.

Imagine um templo energético onde possa estar protegido e possa mais facilmente se concentrar. Um lugar onde sabe que pode encontrar claridade mental e sentir-se mais conectado às presenças espirituais ou simplesmente pelo fato de estar lá sentir-se bem.

Uma egrégora pode ser formada de várias maneiras e com fins diferentes. Numa escola de yoga, por exemplo, pode formar-se um egrégora onde permeia a paz, o relaxamento e a claridade mental. Já sentiu isso quando adentrou uma escola assim? Isso acontece porque naquele lugar específico existe a finalidade de que seja assim. Muito provavelmente o dono da academia ou espaço mentaliza isso, conscientemente ou não. O que atrai pessoas com essa mesma freqüência e assim a egrégora é mantida sempre.


Quando se trata de egrégoras espirituais, como por exemplo, uma reunião, em um centro espírita, ou mesmo com um fim espiritual específico, seres espirituais constroem essas egrégoras juntamente com os fundadores do lugar, ou a pessoa ou pessoas que tem uma finalidade muito específica ou comum.


Assim, são trazidos seres espirituais que possam ajudar em tratamentos, ou de alguma outra forma. Nestes lugares, formam-se concentrações energéticas muito poderosas onde pelo simples fato de estar lá já faz diferença. Para os seres espirituais isso é uma forma de proteção, onde conseguem sintonizar mais facilmente suas freqüências -dos freqüentadores- e assim conseguem tranquilamente passar suas mensagens e fazer seus tratamentos.
Você cria uma egrégora pessoal toda vez que se concentra com um fim específico, mas, para que isso aconteça, precisa criar um ambiente físico, de preferência no mesmo lugar e horário todo dia, como um ritual. Fazendo desta forma, seres espirituais irão se aproximar mais facilmente e você poderá começar a fazer contato com eles ou simplesmente estar nesta sintonia, que será muito benéfica para você.

Não se preocupe, pois se você estiver com sua mente voltada somente a sentimentos de paz, amor, nada que não esteja nesta sintonia irá se aproximar. Preste sempre atenção nisso, e antes de fazer seu ritual, dispa-se de suas preocupações e concentre-se em ficar o mais neutro possível.

Aqui está o passo a passo para formar sua egrégora pessoal:


  • Escolha um lugar onde possa ficar tranqüilo sem ser interrompido. 

  • Escolha um mesmo dia e horário. 

  • Se você quiser, acenda uma vela e utilize incensos. 

Faça uma pequena prece. A melhor forma de fazer uma prece é falar aquilo que seu coração mandar/pedir. Ou algo como: "Estou aqui reunido com meus amigos espirituais e meu anjo da guarda, que sempre me protege e gostaria de agradecer por tudo o que tenho na minha vida e por este momento de união e paz. Gostaria de entender um determinado assunto e saber qual o melhor caminho a seguir".(neste momento, fique em paz, e tente não pensar em nada.) O que provavelmente acontecerá é que você sentirá algo, através da sua intuição ou mesmo poderá receber algum outro tipo de informação por outra fonte, é só prestar atenção.

Precisa se acostumar a isso; tudo é uma questão de treino. Fazendo isso sempre em um mesmo horário fará com que se forme sua egrégora onde poderá sempre sentir-se em paz e conectado com sua força interior e os seres espirituais que o acompanham.

domingo, 6 de outubro de 2013

O que é Yoga

MUSICAS PARA YOGA




é a transformação da consciência humana em consciência divina.
É uma filosofia prática que permite ao ser humano acordar de seu sono e vivenciar a felicidade permanente que ele é.
O ser humano, não percebendo que ele já é a felicidade, busca incessantemente esta felicidade fora de si, nos objetos externos. Mais cedo ou mais tarde, percebe que a causa do seu sofrimento está na limitação de sua mente, e que a felicidade não é encontrada fora, mas em cada momento em que está consigo mesmo, sem desejos, sem pensamentos, em paz.


O Yoga Sutra, texto clássico sobre Yoga, inicia com a seguinte definição sobre Yoga:


Yoga é a suspensão dos processos mentais. (Yoga Chitta-vrittti nirodhah)
A mente oscilante é o grande obstáculo à percepção do Eu Real. Segundo o Vedanta este Eu é a base de tudo o que existe e sem esse Eu, que é consciência, a mente não seria possível, mas a mente não é real e encobre o Eu. Por essa razão o Yoga tem por objetivo interromper esse fluxo de pensamento e a identificação com a mente, percebendo assim a base da mente que é a consciência e alcançar o Samadhi (união, ênstase, superconsciência).

O Yoga citado nos Vedas é integral, sem divisões. Usar somente o termo “Yoga” deveria indicar que se está abordando o Yoga na sua totalidade. Mas hoje erroneamente se usa o termo e se fala somente do primeiro degrau do Yoga que é o Yoga corporal. Isto acontece porque esta é a porta de entrada do Yoga. Infelizmente muitas linhas de Yoga ignoram os próximos passos a serem trilhados pelos verdadeiros yoguis.

“Tempo houve em que desprezei o corpo mas então
vi Deus dentro de mim. Percebi que o corpo é o templo do Senhor,
e comecei a preservá-lo com infinito cuidado.”
BHOGAR- Kundalini Yoga - sec.XVII

Hatha Yoga é um sistema de técnicas psicossomáticas que servem de instrumento para transformar o corpo físico num corpo divino.








“A mente é como o vento. O corpo como a areia.
Se voce quer conhecer o vento, observe o movimento da areia.”


As impressões da mente registram-se no corpo, em forma de tensões e flacidez, condicionando o caráter e posteriormente podendo causar doenças psicossomáticas. O Hatha Yoga é uma ramificação do tantrismo, é o sucessor imediato do culto Sidha do tantrismo que promoveu o culto do corpo ou compreensão através do corpo. A idéia central deste caminho é que o corpo não é um obstáculo à iluminação (como era afirmado em tempos pré tantricos), mas o templo do divino. A primeira intenção do Hatha Yoga é preparar o corpo para práticas mais avançadas e para a subida da kundalini (para que não haja um curto circuito). O Hatha Yoga revive o ideal antigo e popular da imortalidade no corpo, a compreensão de que a iluminação deve ser alcançada em vida e não após a morte, para tanto é necessário o corpo saudável, vitalizado e vida longa.


Consta que o fundador do Hatha Yoga foi Gorakshanata e atribui-se a ele duas obras: Hatha Yoga e Goraksha Sanhita, das quais conserva-se somente o segundo texto. Seu mestre é o lendário Matsyendranatha, um dos 84 perfeitos siddhas. Numerosas lendas tem sido criadas ao redor destes dois mestres, e é dificil extrair delas as realidades históricas. Entre os manuais de Hatha Yoga baseados nas obras de Goraksa estão o Siva-Samhita, o Gheranda-Samhita, o Hathayoga Pradipika, o Yoga-Yjnavalkya e o Yoga-Cudamani-Upanisad.
O Goraksa Samhita o mais antigo texto sobre Hatha Yoga expõe sua sadhana em 6 partes.


O Yoga, ou processo espiritual, sempre foi comparado a um fogo purificador que consome a personalidade egóica até deixar somente a Identidade transcendental (consciência testemunha).
A personalidade egóica luta desesperadamente para sobreviver. A mente e seus conceitos, não desejam ser questionadas e criam artimanhas para sobreviver. Mas a mente precisa morrer para que o Si Mesmo Transcendente possa brilhar. Para isso devemos submeter-nos ao fogo purificador do Yoga. È necessário uma disciplina constante e ardente.

O despertar da Kundaliní é dito como o despertar do fogo serpentino.


O fogo (agni) é produzido pela fricção de dois pedaços de madeira: um bastão mantido verticalmente e uma base horizontal. O girar do bastão superior, considerado o pai de Agni, faz brotar, no ponto de fricção, a faísca que inflama a base, considerada a mãe de Agni. A manifestação do fogo é, portanto, o resultado de uma fricção entre duas forças opostas, comparada ao ato de procriação.

Como o pote de barro cru é dissolvido pela àgua do rio,
o corpo é destruído pela morte.
Mas se o pote estiver cozido não se dissolverá.
Portanto submeta o corpo ao fogo do Yoga,
a fim de purificá-lo e fortificá-lo.



O esforço ou Sadhana é a disciplina ardente (Tapas) que vai permitir ascender o fogo serpentino (kundaliní). Este mesmo fogo é representado também no fogo sacrificial dos rituais Védicos (Atharvaveda ), onde o Deva ou princípio divino se torna manifesto e se eleva pela oferenda contínua. O sacrifício ou esforço é um dos fundamentos da doutrina Védica.
O que os textos védicos chamam de fogo, está longe de limitar-se apenas ao nosso conceito físico. O fogo representa o princípio da vida, de calor , de consciência, oculto em todos os seres. Como citam os textos: “o fogo habita escondido na terra, nas plantas, nas pedras e as águas o arrastam. Há um fogo encerrado profundamente no homem, um fogo nas vacas, um fogo nos cavalos.” Em outro trecho diz: “Ele permanece oculto ainda que suas chamas sejam brilhantes. Este fogo citado é a identidade única: Deus ou consciência que tudo ilumina e não é iluminado por nada. Reconhecer a si mesmo é Yoga. O Objetivo do Yoga é Moksha, a liberação do Samsara (ciclo de nascimento e morte), é encontrar a imortalidade ou reconhecer o Ser Imortal que somos.


EXERCÍCIOS PARA FAZER EM CASA