Aprenda a meditar, excelente video

MSG

Quem Somos

Somos pessoas que acreditam na liberdade de expressão, pessoas que possuem a mente aberta e que independente da raiz estelar que podemos ter vindo, acreditamos que todos somos 1, Amamos a fonte Criadora, amamos a Natureza e a viva mãe Gaia (Terra), não possuímos qualquer placa religiosa por entender que as pessoas se unem pelo amor e não pela placa, no final das contas somos meros 22 gramas nem mais nem menos, o que importa eh a luz que conseguimos irradiar.
Acreditamos sim ter nossas raízes vinda das Plêiades, mas acima disso, acreditamos no poder do infinito onde entendemos que somos mágicos e que a vida tanto na terceira dimensão como em outras eh sempre uma lição a qual vamos sempre aprender coisas novas e fazer novos amigos/irmãos.
Bem Vindos ao Blog dos Plêidianos com AMOR os Saudamos sintam-se em casa.
Luara, Graciano, Priscila e Raquel
❥✫✫✫...¸.•°*”˜˜”*°•.ƸӜƷ ...❥✫✫..¸.•°*”˜˜”*°•.ƸӜƷ ♥ ░░ ♥ ♪ღ♪ ❥✫✫✫...¸.•°*”˜˜”*°•.ƸӜƷ ...❥✫✫..¸.•°*”˜˜”*
Dica: Ouçam nossa playlist ;)


Seja Feliz !

Seja Feliz !
Seja Feliz !

terça-feira, 26 de junho de 2012

16 dicas de ouro para ficar em paz com a sua mente





O poder do pensamento positivo deveria ter sido ensinado para nós, quando ainda crianças, mas sempre é tempo de mudar para melhor. Para essa transformação é necessário vontade interior, motivação e disciplina para treinar sua mente a pensar de maneira positiva e amiga.


Sei que não é fácil conseguir mudar nossos padrões mentais negativos de muitos anos. Sem saber o que estávamos fazendo, fomos alimentando pensamentos de culpa, raiva, frustrações, ressentimentos. Isso foi gerando baixa autoestima, medos e angústias.

Quem permitiu que a mente negativa lhe dominasse, vive em um contínuo estado de ansiedade, agitação e pressa. Isto vai causando insônia, sentimentos de não conseguir ser feliz no amor, de não conseguir educar bem os filhos ou progredir na profissão.

A mente negativa foi criando “armadilhas” e a pessoa se tornou prisioneira dentro da própria mente. Perdeu a espontaneidade, a alegria, criatividade e confiança em si mesmo.

Geralmente, quando não suporta mais esses sofrimentos criados pela mente, ela busca terapia e toma remédios que apenas aliviam, por alguns instantes, as dores da alma, como depressão, tristeza e pânico.

Quando tomamos conhecimento da Ciência do Poder do Pensamento e dos sábios ensinamentos do Yoga, precisamos aplicá-los em nossa vida. É importante ler como lidar e educar a mente. Porém, não basta apenas ler . Para alcançar o equilíbrio emocional e mental, esses ensinamentos precisam se tornar vivos dentro de nós.

Contemple essas dicas de ouro e comece aplicá-las no seu dia a dia:


1. Escolha pensar sempre de forma positiva. Desenvolva a vigilância sobre seus pensamentos. E, quando perceber que um pensamento negativo surgiu em sua mente, substitua-o, imediatamente, por um pensamento oposto. Para isso, você precisa de muita disciplina mental. Você não consegue isso da noite para o dia. Assim como um atleta ou um pianista fazem treinamentos contínuos, treine muito com determinação e perseverança.






2. Não alimente preocupações, pensando no pior,afirmando que está sendo realista. Compreenda que isso gera sofrimentos inúteis para você e para quem está ao seu redor. Ser positivo não é ser otimista. Ser positivo é ter uma mente clara, com discernimento, sem nutrir expectativas negativas.

Entenda as ondas cerebrais e aprenda a entrar em alfa





Recentes descobertas científicas nos fazem compreender melhor o antigo processo de meditação do yoga. O cérebro é composto de bilhões de células nervosas que criam pequenas correntes elétricas, e dele emanam ondas eletromagnéticas sutis ou "ondas cerebrais" que se alteram com as mudanças de estado de consciência.

Através de um eletroencefalograma essas ondas cerebrais podem ser detectadas. Os eletrodos sensitivos do aparelho, ligados à cabeça das pessoas, captam os ritmos das ondas cerebrais e os registram em um gráfico.

Desse modo, os cientistas descobriram vários tipos de ondas cerebrais diferentes, que são emitidas em diferentes estados de consciência: onda Beta, onda Alfa, onda Teta, onda Delta.

Há uns trinta anos atrás, através de um exame encefalograma, que fiz a pedido médico, por causa de dores de cabeça, despertei para a consciência que a ondas Alfa existiam mesmo e que eu tinha aprendido a entrar em alfa através do yoga.

O exame não mostrou nenhum problema, mas foi muito bom ter feito, pois fiquei surpresa ao saber pelo médico que, durante todo o exame, eu tinha ficado em ondas alfa, bem tranquila.

Aquilo me despertou para a consciência da verdade dos ensinamentos da Ciência do Yoga. As ondas alfa não eram apenas palavras ou ficção. Eu podia vivenciar aquele estado calmo quando eu queria, quando eu me permitia relaxar.

Antes de praticar hatha yoga e meditação, eu tinha muita ansiedade, medos e insônia. Apesar de ter tudo, amor verdadeiro, filhos, estabilidade financeira, fazer viagens, ter vida social e muito conforto, eu vivia preocupada com o futuro, com medo de perder tudo de bom que tinha. Tinha muitos pensamentos negativos, e com essa turbulência mental, não podia ser feliz, porque não vivia o momento presente, o único momento que existe.

Através das práticas da hatha yoga e da meditação diária, fiquei curada das constantes dores de cabeça, e fui acalmando o manancial de emoções e pensamentos. Comecei a me transformar para melhor, saborear os momentos do meu dia- a-dia e a desfrutar do dom da vida.

Em cursos sobre controle da mente e meditação, aprendi sobre as ondas da mente e como entrar em ondas Alfa, (e até em ondas mais profundas como ondas Teta), acalmando muito minha mente.

 Aprenda a entrar em Alfa

Gostaria de lhe ensinar algo muito simples para entrar em ondas Alfa, para alcançar o apaziguamento e tranquilidade.

Experimente isto agora.

Sente-se ou deite-se confortavelmente.

Simplesmente feche os olhos e direcione o olhar interno para a parte entre as sombracelhas.

Se quiser pode, sutilmente, tocar com os dedos, essa região entre as sombracelhas para senti-la melhor.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

O homem mais feliz do mundo



Em Laboratórios de todo mundo, o estudo do cérebro entrou numa fase detalhada que permite hoje se chegar a conclusões sobre o grau de felicidade das pessoas e estes esforços levaram os pesquisadores a surpreendentes análises comparativas.

Nos acostumamos (fomos condicionados) a crer que a felicidade é uma espécie de competição olímpica onde é vitorioso quem possui mais, domina, comanda e sente através de coisas.

Segundo um recente experimento científico o homem mais feliz do Mundo hoje é um indivíduo que vive em uma cela de dois por dois, não é dono nem executivo de nenhuma companhia da Fortune 500, não vive dependente de celular, nem dirige uma BMW, não veste roupa de Armani nem Hugo Boss, desconhece tanto o Prozac como o Viagra ou Ecstasy e sequer toma Coca-Cola.

Em suma: O Homem Mais Feliz do Planeta é um homem que prescinde de dinheiro, competições profissionais, vida sexual e popularidade. Seu nome é Matthieu Ricard, francês, ocidental por nascimento, budista por convicção e o único entre centenas de voluntários da pesquisa cujo cérebro não só alcançou a máxima qualificação de felicidade prevista pelos métodos científicos, como superou por completo o “felizômetro”.


Os 256 sensores e dezenas de ressonâncias magnéticas aos quais Ricard se submeteu ao longo de vários anos, para validar o experimento não mentem:

Ali onde o nível dos simples mortais é muito alto – estresse, medo, frustração – no cérebro de Ricard, essas sensações simplesmente não existem. Mas ao contrário, onde a maioria demostrou baixíssimos níveis – Satisfação e Plenitude Social – Ricard superou todos os índices, dando origem ao titulo de “Homem Mais Feliz do Planeta”. Os cientistas nunca encontraram alguém “tão feliz” e afirmam: em medições quantificáveis, Ricard é mesmo o Homem mais feliz da terra.

O paradoxo do caso não é o fato de ser um homem tão feliz e sim como chegou a sê-lo, se desprendendo de tudo aquilo em que os ocidentais supõem ser a raiz da felicidade: dinheiro, posses, consumo, consumo, consumo…

E não é que Ricard seja alheio a tudo isso. Ele fez Doutorado em genética molecular e trabalhou ao lado do Prêmio Nobel de Medicina François Jacob. Além de ser filho de Jean François Revel (recém-falecido), um famoso filósofo e membro Emérito da Academia Francesa.


Mas nada o deslumbrava e não se sentia pleno.

Com o mundo do sucesso material a sua frente, e, a ponto de converter-se numa eminência científica, um dia, fortemente impressionado com a filosofia oriental, decidiu mudar o rumo da sua vida. Dedicou-se à meditação, tornou-se discípulo do mestre tibetano Rinpoche, foi para o Himalaia, adotou o caminho dos monges e iniciou uma nova vida a partir do zero.

Hoje é um dos maiores estudiosos do clássico tibetano, é assessor e braço direito do DALAI LAMA e tem doado milhões de euros – produto da venda de seus livros – a monastérios e obras de caridade.

Porém isso não é a causa, mas a consequência de sua felicidade.

A causa para esse resultado devemos buscar em outro lugar, diz o chefe do estudo, Richard J. Davidson, e não é nenhum mistério ou graça divina:

Se chama “plasticidade mental”. É a capacidade humana de modificar fisicamente o cérebro por meio dos pensamentos que escolhemos ter. Da mesma forma que os músculos do corpo, o cérebro desenvolve e fortalece os neurônios mais utilizados. Os pensamentos negativos provocam maior atividade no córtex direito do cérebro e consequentemente maior ansiedade, depressão e hostilidade. Em outras palavras: maior infelicidade auto gerada. Por outro lado, quem desenvolve bons pensamentos e também uma visão amorosa da vida, exercita o seu córtex esquerdo, elevando as emoções prazerosas e a felicidade.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Nossa casa - Our home







Sonho Lúcido

Sonho Lúcido é a capacidade de tornar-se consciente enquanto você está sonhando ... conscientemente "acordar" dentro do mundo dos sonhos e controlar seus sonhos.



Muitas pessoas são muito boas em lembrar seus sonhos regulares. Estes fornecem memórias de ricos mundos interiores que nos dizem muito sobre a mente subconsciente.

Mas os sonhos lúcidos dão um gigante passo a mais - para um reino de fantasia onde tudo que você ver, sentir, saborear, ouvir e cheirar pode ser tão autêntica quanto a sua realidade de vigília.
Com o controle consciente, então você pode explorar o seu dreamscape como se fosse um mundo de realidade virtual. Parece legal? Você não tem idéia!

Como o sonho lúcido se parece?

Um sonho plenamente lúcido é rico e detalhado - e pode criar mais consciência do que você tem agora, como uma visão de 360 ​​graus ou estar em dois lugares ao mesmo tempo.



 
 Porque tudo tem lugar em sua mente, o mundo dos sonhos não tem leis físicas. Você pode controlar seus sonhos e deformar como Neo em “The Matrix” , voar sobre cidades como em “Homem de Ferro” , viajar através do tempo, ter relações sexuais com ninguém, lutar como um ninja, memórias re-vivas da infância e outras coisas mais...



De fato, as possibilidades de sonhos lúcidos são ilimitadas.


Mas um sonho lúcido não é apenas um parque infantil de fantasia, é uma oportunidade de interagir com sua própria mente subconsciente através de personagens de sonho.



Os benefícios de Sonhos Lúcidos


Depois de saber como se tornar lúcido nos sonhos, você vai descobrir um mundo novo e estranho - um universo inteiro, nada menos - do que você está plenamente consciente e pode manipular com o poder do pensamento.



O benefício mais óbvio de sonhos lúcidos é a realização do desejo - e, além disso, você pode interagir com sua própria mente subconsciente. Isso porque um sonho lúcido é uma experiência de co-criado.

O medo de perder


O medo que nutrimos em nossas mentes cria ou reforça os obstáculos que experienciamos em nossas vidas. O medo é a raiz de toda emoção negativa, uma vez que ele nos rouba a realidade e não nos permite conhecer realmente o nosso verdadeiro caminho nessa existência. Digamos assim, o medo é um véu que encobre as coisas e as experiências como elas são.

O medo é a porta de entrada para a ignorância e, consequentemente, para o sofrimento.

Há dois tipos básicos de medos que podemos sentir, e eu costumo dar um exemplo muito simples sobre eles. O primeiro tipo é o chamado medo real de preservação, geralmente associado a alguma situação que coloca em risco as nossas vidas. Por exemplo, se você se debruçar do último andar de um edifício alto, você pode sentir medo da altura. Isso significa: cuidado, não se arrisque. Outras pessoas têm medo de altas velocidades, ou ainda de bichos selvagens. Bom, todos esses exemplos ilustram bem esse tipo de medo ancestral ligado ao instinto de autopreservação. Talvez a palavra “medo” usada nestes casos não seja apropriada, talvez esse medo pudesse ser renomeado como prudência, proteção, ou prevenção, ou ainda simplesmente cuidado próprio. Mas, sem entrar nesse mérito, apenas reconheçamos que esse primeiro tipo de “medo”, quando equilibrado no bom senso da realidade, é importante porque tem a função de nos manter vivos nas situações de risco ou na iminência de nossa morte física. Ou seja, é um “medo” ancestral do homem que tem o papel de garantir a sua sobrevivência física.

O segundo tipo de medo é bem mais irreal do que o primeiro, uma vez que quase sempre está associado a uma ilusão mental, ou seja, a uma criação da nossa subjetividade. Por exemplo, o medo de perder alguém ou alguma outra coisa. Essa é uma questão importante, pois geralmente não investigamos profundamente as raízes deste tipo de medo. Ocorre que essa emoção não diz respeito diretamente à nossa autopreservação, uma vez que a situação em questão não nos expõe diretamente ao risco de morte física. Sendo assim, qual a sua origem? Sua origem está na ilusão, no caso em questão na ilusão de que podemos perder algo ou alguém, pois há uma crença anterior de que as possuímos. Partimos do pressuposto de que somos donos, proprietários do objeto em questão, e esse pressuposto de propriedade cria automaticamente a ilusão da possibilidade de sua perda. É justamente essa possibilidade, essa angústia permanente que assombra ao redor do objeto do apego, que cria a falsa sensação de perda e, consequentemente, a sensação de medo. Resumindo, é uma forma de apego, ou identificação, que gera o medo de perder.


Se uma situação de risco real, como um bicho selvagem, cria um sentimento de preservação que procura evitar a morte física do corpo ou seu dano, podemos inferir que uma situação subjetiva como a descrita acima provoca um sentimento que busca a preservação daquela contraparte psicológica associada ao dano potencial em questão, no caso algum aspecto do “eu”, ou ego, ligado ao objeto do apego. Assim, o medo de perder alguma coisa busca a manutenção de alguma parte do ego que se encontra identificada com essa coisa.

Entretanto, a sensação de medo em questão seria facilmente dissolvida se reconhecêssemos que, para começo de conversa, não somos donos de nada nessa existência, que nada pode ser possuído ou tido como propriedade permanente. Se entendemos que nada pode ser possuído neste sentido permanente, uma vez que tudo está em constante transformação, então também aceitamos que nada pode ser perdido. Ainda, basta vislumbrar que, ao reter o velho, deixamos de conhecer tudo o que ainda está por vir, e isso revela ainda mais a natureza ilusória de todo medo que existe por trás de uma “perda”.



Nesta perspectiva mais ampla, a propriedade é uma ficção temporária. E assim sendo, não pode haver nenhuma perda.

Desta forma, o sofrimento e a ignorância que poderiam nascer e crescer a partir desse sentimento são cortados fora quando examinados à luz de sua natureza ilusória. Se você pratica a meditação ou qualquer outro exercício de contemplação mental, você pode incluir essa visualização em sua rotina, a visualização da natureza vazia do medo e do sentimento de perda, libertando-se assim de suas influências delusivas.

Votos de Luz




http://mokusen.wordpress.com/2012/06/11/o-medo-de-perder/

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Glândula Pineal - Palestra

Palestra sobre a Glândula Pineal dada pelo medico brasileiro Dr Sergio Felipe de Oliveira, formado no Instituto de Ciências Biomédicas de SP, atua nas áreas de neurociências, clinica medica e psiquiatria, eh também neurocientista, essa palestra tem duração de 1:06 min. eh muito bem explicada e para aqueles que estudam esse tema e não viu, essa matéria eh uma excelente dica.
Abs
Pri


Ayahuasca: "Um veículo para a evolução espiritual"

Mais uma vez vou postar sobre a ayahuasca porque por mais matérias que vemos sobre ela, ainda muitas pessoas possuem muitas duvidas, meu conselho eh que por mais que vocês estudem o tema, por mais que pesquisem, só entenderão a grandeza desse "bem" chamado ayahuasca depois que tiverem sua própria experiência com ela.
Não tenham medo de se conhecer, você merece saber o quão grande eh, va em frente, CORAGEM.
Um grande abraço de amor e luz em todos que lerem essa mensagem e que espalhem esse mesmo amor e luz mesmo para os que não lerão.
Pri

“AYAHUASCA - A UNIVERSIDADE GAIA”

© Ralph Miller 2003



Ayahuasca sendo preparada na Região do iquitos no Peru.


O chá de cor morena e de gosto amargo é conhecido por vários nomes:
yagé, nepe, kabi, natema, hoasca, ayahuasca etc.

Por 20 anos eu formei minha família, trabalhando como agente de viagens. Nos últimos anos conduzi Workshops no Brasil usando uma planta ancestral, “medicina” ou chá, a qual tem sido usada por tribos indígenas da Amazônia há milhares de anos. Esse chá é chamado Ayahuasca e contém uma poderosa substância psicoativa e visionária chamada DMT (Dimetiltriptamina). A DMT é encontrada em todas as coisas vivas, incluindo nós, humanos.

Quando descobri a Ayahuasca, logo entendi que continuaria sendo um agente de viagens, mas agora mostrando às pessoas como fazer jornadas interdimensionais.Em nós, humanos, a DMT é produzida na glândula Pineal e pesquisas recentes indicam que a Pineal irá produzir DMT em grandes quantidades em pelo menos dois momentos das nossas vidas: no nascimento e na morte. Talvez ela prepare a chegada e a partida da alma. Pessoas que experimentam “situações de quase morte” – vendo luzes fortes, portais, ícones religiosos – relatam efeitos semelhantes aos das experiências com DMT.

O processo visionário da Ayahuasca também traz o efeito de permitir que uma pessoal se resolva e se cure espiritual, psicológica, emocional e fisicamente. O chá é referido como “enteogênico”, o que significa “contém Deus dentro”.

Muito provavelmente parece (minha crença pessoal) que o cérebro humano é de alguma maneira atrofiado, e que o processo xamânico de re-introduzir DMT usando Ayahuasca tem o efeito de “ligar” a Pineal de uma maneira extraordinária. Outros estudos foram conduzidos e sugerem que os cérebros pós-Ayahuasca encontram-se literalmente “re-configurados” (novas sinapses).


As moléculas de DMT são similares às moléculas da Serotonina e se encaixam nos mesmos receptores do cérebro. Isto é extraordinário porque, assim como a Serotonina, a DMT é uma chave específica que naturalmente se encaixa nesta “trava” do cérebro.

Nota-se, nos diagramas abaixo, que as estruturas da DMT e da Serotonina são muito similares. Ambas se encaixam nos mesmos neuro-receptores do cérebro.





A Ayahuasca é um chá muito interessante e complicado feito a partir de duas espécies de plantas amazônicas: um arbusto chamado Psychotria Viridisfo (Chacrona) e um cipó chamado Banisteriopsis Caapi (Mariri).

A Chacrona é uma planta fonte de uma quantidade relativamente grande de DMT, que é a principal fonte da experiência visionária. Todavia a DMT é inativa quando administrada oralmente porque é destruída no estômago pela enzima digestiva Monoamina Oxidase (MAO).

O Mariri contém apenas alcalóides mediamente psico-ativos, especificamente Beta-carbolinas (Harmina, Harmalina e Tetrahidrahamina), os quais agem como inibidores de re-absorção da Serotonina pelo organismo, assim como têm propriedades pró-Dopamina. A Serotonina e a Dopamina são substâncias produzidas pelo organismo humano, similares a hormônios, e são poderosos neurotransmissores que criam estado de alerta, assim como colocam a pessoa num estado psicologicamente receptivo. Adicionalmente, esses alcalóides também agem como poderosos inibidores da enzima MAO.


O interessante sobre a Ayahuasca é que, enquanto a DMT é inativa quando tomada oralmente e sozinha, os inibidores de MAO do chá permitem que a DMT permaneça intacta e ultrapasse as barreiras do sangue e do cérebro.

Assim, você tem a DMT se encaixando aos receptores do cérebro, o que produz visões, enquanto as propriedades pró-Serotonina e pró-Dopamina do chá criam um estado de alerta e receptividade.

Além disso, as propriedades de cura física da Ayahuasca são extraordinárias, para dizer pouco. A Ayahuasca tem sido investigada como um possível tratamento eficaz para o Mal de Parkinson, por exemplo.

Já em 1928, uma substância natural chamada Banisterene foi usada com sucesso no tratamento do Mal de Parkinson. Banisterene é também um antigo e bem conhecido produto de plantas chamado Harmina. Harmina é o componente Beta-carbolina mais presente na Ayahuasca.

Infelizmente o uso de Banisterene deixou de ser usado no tratamento do Mal de Parkinson, à medida que a indústria farmacêutica evoluía no estudo de drogas sintéticas que são patenteáveis, diminuindo o interesse por produtos naturais – que não o são. Mais interessante ainda é o fato de que muitas das drogas experimentais usadas atualmente para tratar o Mal de Parkinson, que podem ser encontradas na lista da Associação da Indústria Farmacêutica Britânica, contêm poderosos inibidores de MAO, assim com possuem propriedades pró-Dopamina.


quinta-feira, 7 de junho de 2012

Ego, o falso centro






O primeiro ponto a ser compreendido é o ego.


Uma criança nasce sem qualquer conhecimento, sem qualquer consciência de seu próprio eu. E quando uma criança nasce, a primeira coisa da qual ela se torna consciente não é ela mesma; a primeira coisa da qual ela se torna consciente é o outro. Isso é natural, porque os olhos se abrem para fora, as mãos tocam os outros, os ouvidos escutam os outros, a língua saboreia a comida e o nariz cheira o exterior. Todos esses sentidos abrem-se para fora. O nascimento é isso.

Nascimento significa vir a esse mundo: o mundo exterior. Assim, quando uma criança nasce, ela nasce nesse mundo. Ela abre os olhos e vê os outros. O outro significa o tu. Ela primeiro se torna consciente da mãe. Então, pouco a pouco, ela se torna consciente de seu próprio corpo. Esse também é o 'outro', também pertence ao mundo. Ela está com fome e passa a sentir o corpo; quando sua necessidade é satisfeita, ela esquece o corpo. É dessa maneira que a criança cresce.

Primeiro ela se torna consciente do você, do tu, do outro, e então, pouco a pouco, contrastando com você, com tu, ela se torna consciente de si mesma. Essa consciência é uma consciência refletida. Ela não está consciente de quem ela é. Ela está simplesmente consciente da mãe e do que ela pensa a seu respeito. Se a mãe sorri, se a mãe aprecia a criança, se diz 'você é bonita', se ela a abraça e a beija, a criança sente-se bem a respeito de si mesma. Assim, um ego começa a nascer.

Por meio da apreciação, do amor, do cuidado, ela sente que é ela boa, ela sente que tem valor, ela sente que tem importância. Um centro está nascendo. Mas esse centro é um centro refletido. Ele não é o ser verdadeiro. A criança não sabe quem ela é; ela simplesmente sabe o que os outros pensa a seu respeito.

E esse é o ego: o reflexo, aquilo que os outros pensam. Se ninguém pensa que ela tem alguma utilidade, se ninguém a aprecia, se ninguém lhe sorri, então, também, um ego nasce - um ego doente, triste, rejeitado, como uma ferida, sentindo-se inferior, sem valor. Isso também é ego. Isso também é um reflexo.

Primeiro a mãe. A mãe, no início, significa o mundo. Depois os outros se juntarão à mãe, e o mundo irá crescendo. E quanto mais o mundo cresce, mais complexo o ego se torna, porque muitas opiniões dos outros são refletidas.

O ego é um fenômeno cumulativo, um subproduto do viver com os outros. Se uma criança vive totalmente sozinha, ela nunca chegará a desenvolver um ego. Mas isso não vai ajudar. Ela permanecerá como um animal. Isso não significa que ela virá a conhecer o seu verdadeiro eu, não.

O verdadeiro só pode ser conhecido por meio do falso, portanto, o ego é uma necessidade. Temos que passar por ele. Ele é uma disciplina. O verdadeiro só pode ser conhecido por meio da ilusão. Você não pode conhecer a verdade diretamente. Primeiro você tem que conhecer aquilo que não é verdadeiro. Primeiro você tem que encontrar o falso. Por meio desse encontro, você se torna capaz de conhecer a verdade. Se você conhece o falso como falso, a verdade nascerá em você.

O ego é uma necessidade; é uma necessidade social, é um subproduto social. A sociedade significa tudo o que está ao seu redor, não você, mas tudo aquilo que o rodeia. Tudo, menos você, é a sociedade. E todos refletem. Você irá à escola e o professor refletirá quem você é. Você fará amizade com as outras crianças e elas refletirão quem você é. Pouco a pouco, todos estarão adicionando algo ao seu ego, e todos estarão tentando modificá-lo, de modo que você não se torne um problema para a sociedade.

Eles não estão interessados em você. Eles estão interessados na sociedade. A sociedade está interessada nela mesma, e é assim que deveria ser. Eles não estão interessados no fato de que você deveria se tornar um conhecedor de si mesmo. Interessa-lhes que você se torne uma peça eficiente no mecanismo da sociedade. Você deveria ajustar-se ao padrão.

Assim, estão interessados em dar-lhe um ego que se ajuste à sociedade. Ensinam-lhe a moralidade. Moralidade significa dar-lhe um ego que se ajuste à sociedade. Se você for imoral, você será sempre um desajustado em um lugar ou outro...

Moralidade significa simplesmente que você deve se ajustar à sociedade. Se a sociedade estiver em guerra, a moralidade muda. Se a sociedade estiver em paz, existe uma moralidade diferente. A moralidade é uma política social. É diplomacia. E toda criança deve ser educada de tal forma que ela se ajuste à sociedade; e isso é tudo, porque a sociedade está interessada em membros eficientes. A sociedade não está interessada no fato de que você deveria chegar ao auto-conhecimento.

A sociedade cria um ego porque o ego pode ser controlado e manipulado. O eu nunca pode ser controlado e manipulado. Nunca se ouviu dizer que a sociedade estivesse controlando o eu - não é possível. E a criança necessita de um centro; a criança está absolutamente inconsciente de seu próprio centro. A sociedade lhe dá um centro e a criança pouco a pouco fica convencida de que esse é o seu centro, o ego dado pela sociedade.

Uma criança volta para casa. Se ela foi o primeiro lugar de sua sala, a família inteira fica feliz. Você a abraça e beija; você a coloca sobre os ombros e começa a dançar e diz 'que linda criança! você é um motivo de orgulho para nós.' Você está dando um ego para ela, um ego sutil. E se a criança chega em casa abatida, fracassada, foi um fiasco na sala - ela não passou de ano ou tirou o último lugar, então ninguém a aprecia e a criança se sente rejeitada. Ela tentará com mais afinco na próxima vez, porque o centro se sente abalado.

O ego está sempre abalado, sempre à procura de alimento, de alguém que o aprecie. E é por isso que você está continuamente pedindo atenção. Você obtém dos outros a idéia de quem você é. Não é uma experiência direta. É dos outros que você obtém a idéia de quem você é. Eles modelam o seu centro. Mas esse centro é falso, enquanto que o centro verdadeiro está dentro de você. O centro verdadeiro não é da conta de ninguém. Ninguém o modela. Você vem com ele. Você nasce com ele.

Leia mais: http://www.palavrasdeosho.com/2009/05/ego-o-falso-centro.html#ixzz1x7ZLdvS9


Ego, o falso centro (2) > http://www.palavrasdeosho.com/2009/05/ego-o-falso-centro-2.html


terça-feira, 5 de junho de 2012

O perigo dos pequenos pensamentos negativos




:: Bel Cesar ::
Como é verdadeiro o fato de que basta seguirmos um ínfimo pensamento negativo para desencadearmos uma série de dúvidas e frustrações! Nossospequenos pensamentos negativos são como um vírus, que rapidamente se multiplica e cresce, causando-nos febre e mal-estar.

É preciso manter nossa mente sob uma lente de aumento de microscópio.

Como são tantos os pensamentos que fluem em nossa mente, na maioria das vezes não nos damos conta do quanto somos invadidos por atitudes mentais destrutivas. É como a gripe: na maioria das vezes, só percebemos que estamos gripados quando começamos a nos sentir mal. Mas assim como é possível reverter um processo gripal se soubermos identificar seus menores sintomas, podemos reverter a mente negativa ao aprender a identificá-la assim que ela surgir.

Lama Gangchen Rinpoche nos ensina a reconhecer os menores sinais de mudança de nossa mente nas diversas expressões de rosto: elas refletem as nuanças de cada forma-pensamento. Para tanto, ele nos estimula a usar nossa capacidade de manter a atenção como um espelho. Isto é, se estivéssemos vendo nossa imagem 24 horas refletida num espelho, ficaríamos surpresos ao ver quantas de nossas expressões faciais não são tão belas quanto aquelas que tentamos fazer quando nos olhamos no espelho rapidamente para nos arrumar.

Se não queremos mais ter faces feias, temos que começar por admitir que costumamos fazê-las, alertou Lama Gangchen Rinpoche em seus ensinamentos.

Mas, por que fazemos faces feias? Rinpoche nos lembra que estas faces expressam nossa fome e sede interior que se agravam à medida que não fazemos nada para saciá-las! Costumamos perder mais tempo nos lamentando da fome do que gerando recursos para supri-la. Isso ocorre porque conhecemos pouco os alimentos da alma. O que torna nossa mente sutil satisfeita?

São atitudes que nutrem nosso corpo e mente sutil: orar, recitar mantras, fazer visualizações criativas, assim como mover o corpo com gestos pacíficos. Temos que admitir que nossas atitudes habituais não nos nutrem verdadeiramente, pois são o resultado de uma mente pequena que quer apenas se proteger, se defender. Mas possuímos também uma mente grande, que busca naturalmente por evolução.

Thomas Moore, em seu livro O que são almas gêmeas (Ed. Ediouro), comenta que por mais verdadeiros que sejam os problemas da vida prática, eles nunca são idênticos às preocupações da alma. Por isso, escreve: Para nos devotarmos à alma, talvez seja preciso soltar outros vínculos, e para permitir que a alma expresse sua própria intencionalidade e propósitos, talvez tenhamos que abrir mão de antigos valores e expectativas.

De fato, as exigências da alma podem nos parecer paradoxais. Por exemplo, quem não conhece o desejo de querer se libertar das atitudes baseadas no apego, como o ciúme? Apesar da alma não querer viver sob a tensão do controle, nossa mente pequena encontra apenas segurança quando controla tudo e todos...

Por isso, sentir a satisfação interior é uma tarefa difícil demais para uma mente pequena!

Lama Gangchen nos ensina a diferenciar as atitudes mentais entre uma pequena e uma grande mente. Quanto estamos sob os ditames da mente pequena, dizemo-nos: Eu não sei... eu não quero... eu não posso... Mas quando atuamos com nossa mente grande, proclamamos sem dificuldade: OK, eu posso lidar com esta situação, seja ela agradável ou não.

A mente grande não rejeita nenhuma experiência da vida. Afinal, ela não está contaminada por atitudes covardes ou indulgentes. Se passarmos a observar honestamente quantas situações podemos enfrentar se não seguirmos nossa mente pequena, ficaremos surpresos e felizes em notar que podemos fazer muito mais do que estamos habituados.

Temos que admitir que as atitudes mentais de uma mente pequena não nos nutrem verdadeiramente, pois são o resultado da insegurança. Uma mente pequena diz que não sabe, mesmo antes de se questionar. Diz que não quer, sem ter consultado seus desejo mais profundos. Baseadas na carência, são atitudes que buscam se defender sem até mesmo terem sido atacadas. Uma mente pequena é tendencialmente competitiva. Apesar de ser uma mente baseada na crença de ser excluída e solitária, não busca por união. Já a mente grande busca naturalmente evoluir, unir, comungar.


A mente pequena nutre o sofrimento, enquanto que a mente grande sabe como absorvê-lo. O sofrimento perde sua força ao passo que é reconhecido pela mente grande. Por isso, os mestres budistas nos incentivam a dialogar com o nosso sofrimento. Lama Gangchen nos fala: Deixe a sua sabedoria conversar com a sua ignorância. Dê tempo e espaço para sua sabedoria de expressar. Ela não deve ficar oprimida pela ignorância.

A agitação interior é um reflexo do movimento de uma mente pequena. Se nos determinarmos a não segui-la e, cultivarmos uma atitude de calma e a atenção, já estaremos manifestando naturalmente nossa mente grande!


Bel Cesar é psicóloga e pratica a psicoterapia sob a perspectiva do Budismo Tibetano. Trabalha com a técnica de EMDR, um método de Dessensibilização e Reprocessamento através de Movimentos Oculares. Autora dos livros Viagem Interior ao Tibete, Morrer não se improvisa, O livro das Emoções, Mania de sofrer e recentementeO sutil desequilíbrio do estresse, todos pela editora Gaia.
Visite o Site
Email: belcesar@ajato.com.br

Mantras e seus significados

RAMADASA MANTRA

Tradução:
 Raa- Sol
 Maa- Lua 
Daa- Terra
 Saa- impessoal infinito 
Saa Say- Totalmente de infinito 
So- pessoais sentido de fusão e identidade 
Hung- A vibração infinita e real

Auto-cura e cura outros.


SHRI OM Namaha DHANVANTRE



Ajudá-lo a encontrar o caminho certo na cura .

As mulheres cantam quando preparam a comida para preenchê-la com vibrações de cura e prevenção de doenças.

RAM OM Ramaya Swaha



Esta energia masculina, estimula o chakra do plexo solar que fica dormindo tremenda energia de cura . Equilibre a direita e esquerda.

É um mantra de cura tão forte que você pode usar enquanto estiver recebendo quimioterapia e, em seguida, sem dor.

Mantra - Shiva Shambho.

"Shiva Shiva Shiva Shambo
Shiva Shiva Shiva Shambo
Máha Déva Shambo Máha Déva Shambo
Máha Déva Shambo Máha Déva Shambo"


Significado: Cura , mantra Shiva Snambho.

Mantra Jay Shree Krishna


Jay Shree Krishna Chaitanya
Prabhu Nityanandana
Hare Krishna Hare Ram
Radhe Govindam

Significado: Cura , mantra Jay Shree Krishna

Jaya Shiva Shankara Bom Bom Hare Hare


Cura , Mantra Jaya Shiva Shankara

 Govinda Jaya Jaya



GOVINDA JAYA JAYA

"Govinda Jaya Jaya
Gopala Jaya Jaya
Radha Ramana Hari
Govinda Jaya Jaya"
Tradução:
Govinda (O Senhor Supremo), vitória, vitória Gopala (O Senhor Supremo como um menino cuidar de um rebanho de vacas), vitória, vitória Radha Ramana (A Divina Mãe, esposa de Krishna), vitória, vitória Govinda, vitória, vitória (ou "Toda a glória ao Senhor Supremo")
*Cura , Mantra Govinda Jaya Jaya .

Hanuman Mantra


Hanuman mantra que representa o prana ou energia vital.Energia. Dá energia vital. Mantras Hanuman fortalecer o prana de uma pessoa ou curador. Use com respiração prânica.

Mahamrityunjaya Mantra



OM TRAYAM BACAM YEJAMAHE SUGANDHIM PUSHTI VARDANAM URVAR URCAMIYA BANDANAM MRITYOR MUKSHEEYA MAMRITAT 


Markandeya, cura mantra muito forte. Isso significa que, devido à doença e à morte. Este mantra invoca a proteção do poder de cura de Shiva e sua capacidade de evitar a morte. Dalongevidad e boa saúde .

Sanasión para combater doenças crônicas e terminais, sistema imunológico.

Terceiro olho de Shiva (o olho da consciência) tem o poder de destruir ou curar num ápice.

Mantra Rama



Data RAM HATARUM APADAMAPA OM SARWA SAMPADAM LOKA BHI Ramam SHRI Ramam BHUYO BHUYO NAMAM YAHAM 


Mantra Rama. Este é um dos mais poderosos mantras para curar uma variedade de doenças. Um dos mantras para fins gerais na Índia.

Ajuda a curar doenças mentais e nervosos como o transtorno bipolar . Nestes casos cantar UMA vez por dia.


Guru Ram Dass Mantra


GURU GURU WAHE GURU
GURU RAM DAS GURU

Ele conecta-se diretamente com a energia de cura do Guru Ram Das , o curador Santo Grande do século XVII Índia.

Mantra de proteção e cura em seu desenvolvimento físico, mental ou circunstancial.

Mantra de humildade que traz graça salvadora eorientação espiritual em momentos de emergência .

Concede-lhe guiar a luz em nosso caminho.

Posição de meditação: Palma direita para o centro do coração, deixou a palma para cima. Sorria enquanto você canta.

Pavan Guru

PAVAN PAVAN PAVAN PAVAN
PAR PARA PAVAN GURU 
PAVAN GURU WAHE GURU 
WAHE GURU PAVAN GURU


Pavan significa levar o prana (força vital), que recitainstantaneamente torna-se divino . Deus no trabalho, pavan significa " Que a força esteja com você " Este mantra é para a energia prânica. Não há melhor cura que este mantra.
Este mantra é para a energia prânica. Não há melhor cura que este mantra.

OM NAMAH SIVAYA. O mantra dos buscadores




Conhecendo os Mantras

Mantras também são Afirmações de Luz: Cura e Proteção. 


Om Assatoma

Dica: leiam ouvindo o mantra




Om Assatoma
Om Assatoma Sat Gamaya
Tamassoma Jotir Gamaya
Mrityoma Amritam Gamaya




Tradução:


Do irreal guia-me ao Real Paz

Das trevas, guia-me à Luz Paz

Da morte, guia-me à ImortalidadePaz



O significado:

Conduza-me das trevas para a Luz, da ignorância para a Sabedoria, da morte para a Imortalidade.

Proteção, dissolução do ego e curar doenças são alguns dos benefícios deste mantra


Om Assatoma dissolve toda a escuridão, seja dentro do nosso Ser, seja em todas as situações da vida.


Por este motivo é um poderoso mantra de proteção contra as forças do mal, dissolve as armadilhas do ego e ainda auxilia na dissolução de doenças, uma vez que doenças são também consideradas como escuridão no corpo físico.

Om Assatoma também redireciona para a Luz e para a Ordem Divina, pois ao dissolver o mal, nos reposiciona como Filhos de Deus/Deusa, Criadores deste Universo, e requisita a nossa Herança Divina!

Continuando a serie - Conhecendo o significado dos mantras

Hoje vamos ver um dos mantras que eu Priscila mais gosto e veremos tambem seu significado, o mantra de hoje eh o:

O MANTRA GAYATRI

Ja deixo ele de dica para irem ouvindo enquanto leem a explicação

OM - BHUR BHUVA SWAH
TAT SAVITUR VARENAYAM
BHARGO DEVASYA DHIMAHI
DHIYO YO NAH PRACHODAYAT


A PRONÚNCIA DO MANTRA EM PORTUGUÊS


OM BURBU VAA SUAA
TATSA VITUR VARENN IAMMM
BARGOOO DE-VASSIA DII-MARRIIII
DIOIO NAA PRATCHO DAIAT

Este Mantra é um Louvor à Divindade de Surya. Ele é o Mestre hierárca da estrela maior, Sírios.

O SOL do nosso sistema solar é a Estrela Divina Sírios. SIRIUS é o SOL do nosso SOL. O SOL do SOL da Terra. O Sol da nossa Galáxia. Sírios é o foco do Grande Sol Central em nosso setor da nossa galáxia. O Sol físico carrega também a força espiritual das consciências de SER do Grande UM. A causa espiritual por trás do efeito físico que vemos como nosso próprio sol físico e que influencia a todas as outras estrelas e sistemas solares, visíveis ou invisíveis, incluindo cada filho e filha e Deus.

É na estrela maior, Sírios, onde são treinados os que estão preparados para atuar como grandes Avatares, servindo a Luz na Terra, assim como fez Jesus. É lá que se encontra o "Lago do Fogo Sagrado". O Mestre Surya serve diretamente sob o raio azul da Vontade Divina.

Tudo o que vem do Grande Sol Central, para a Terra e para nossos corações, vem através de Sírios.


SIGNIFICADO DO MANTRA GAYATRI – PALAVRA POR PALAVRA


AUM

– A manifestação da Luz do Criador – Brahman – Pode ser entoado apenas - OM – Este é o som da manifestação. O entoar do OM é um pedido de manifestação das palavras do mantra que se segue:

BHUR

– O Plano da Manifestação do Ser – O Esforço para a Manifestação da Vida.

BHUVA

– O Fogo destruidor dos sofrimentos – O Prana existente na atmosfera – O poder ativador do Chakra da Garganta.

SWAH ou SWAHA, ou ainda SVAH, OU SVAHA, ou ainda SVUH ou SUVHA - O Plano Mental, o Reino da Iluminação, o chakra da coroa. Em sânscrito, significam : Que assim seja ! Que se manifeste ! O mesmo que I AM, AUM, EU SOU, ou AMÉM. É quando concebemos o saber de algo. É uma confirmação de que queremos receber a energia do mantra que estamos entoando. Também utilizada no Tantrismocomo uma saudação. Ao saudarmos alguém, estamos recebendo-o em nosso meio. Assim, tem o mesmo significado.


TAT

– Aquele que atua a manifestação do plano divino – Quem faz acontecer.

SAVITUR

– Brilhante como o Sol – SURYA, O Hierárca de Sírius - Aquele que se auto-ilumina e preserva a Luz. A energia Alfa do Pai. O representante máximo do "Grande Um", para a humanidade.

VARENAYAM

– O melhor – O supremo – Alguém que merece ser Adorado.

BHARGO

- A Radiação da Glória. Uma energia que consome a ignorância, e por conseqüência, o sofrimento e a miséria.

DEVASYA

– Iluminação que vêm de Deus. Sabedoria divina.

DHIMAHI

- Meditamos em sua Luz – Meditamos em seu Ser.

DHIYO YO NAH

– Para a grande visão (dhiyo) despertar em nós – Para tudo sabermos.

PRACHODAYAT

– Direção – Coragem – Inspiração Cósmica – Sabedoria Cristica.

BENEFÍCIOS DO MANTRA GAYATRI


O mantra Gayatri traz a sabedoria divina para aqueles o entoam com devoção e constância. A sabedoria e a direção divina são coisas muito importantes para pedirmos a Deus. Todos os problemas, sofrimentos, doenças, miséria, todas as barreiras, podem ser vencidas ao conquistarmos a sabedoria que é com certeza, divina. A sabedoria está no plano espiritual e este mantra é uma das mais fantásticas chaves para conquistar este poder.

Este mantra utiliza o poder do chakra da garganta para ativar o chakra da coroa. Esse efeito, nos traz mais do que sabedoria, traz-nos a capacidades de atuarmos mais como Alfa e menos como Ômega.

Se almejamos a ascensão nesta vida, precisamos atuar como Alfa, levando o fogo transmutador de Deus Pai, à todos os lugares onde estivermos.

Estamos habituados a querer, querer e querer o tempo todo. A energia ômega busca sempre receber e a Alfa, dar.

A Terra está poluída demais e atuar como ômega o tempo todo é algo muito ruim, perigoso e negativo. Este mantra nos ajuda a deixar de ser um buraco negro que a tudo busca dominar e controlar, para sermos um SOL que a tudo ilumina e dá a vida contínua.

Só há um meio de nos tornarmos Alfa como o Sol, e é sendo ômega para sua energia. Precisamos nos ligar nesta energia solar e enchermo-nos dela, a ponto de explodirmos nossa luz etérea, para todos os lados, iluminando todos ao nosso redor.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

O que é Canalização

 

O Que é Canalização?

Por Geoffrey Hoppe


A canalização é uma forma natural de comunicação entre seres humanos e os seres angelicais, espíritos da natureza, entidades não-físicas ou mesmo animais e animais de estimação. Um canalizador é muito semelhante a um tradutor ou intérprete. Eles se permitem sentir ou perceber a comunicação do outro ser. O canalizador, em seguida, atribui palavras humanas para as comunicações para a compreensão deles mesmos ou outros seres humanos.

Um canalizador pode escolher quem ou o que ele quer para canalizar. Durante todo tempo em que a outra parte tem interesse em se comunicar, a ligação é feita e a canalização pode começar. Por exemplo, muitas pessoas canalizam Arcanjo Miguel. Se ele concordar em se comunicar com o canalizador, o fluxo de informações não-verbal começa.

O canalizador recebe as informações em um nível intuitivo ou de sentimento, e então sua mente converte as informações brutas em palavras. Contrariamente à crença popular, as entidades geralmente não utilizam linguagens humanas, porque é considerado inadequado e desajeitado. A mais rica essência de mensagem deles é transmitida através de uma elegante série de sentimentos sensoriais.

Outro equívoco popular é que um canalizador deve ir para um estado de transe profundo, ou entregar o seu corpo e/ou a mente para a entidade. Mas a canalização é muito semelhante a qualquer outra forma de comunicação, seja verbal, linguagem corporal, se perceber ou de arte. Todos eles comunicam uma mensagem, e a mensagem esta sujeita a compreensão do receptor. A maioria dos canalizadores hoje conhecidos, como Lee Carroll (Kryon), Steve Rother (o Grupo) e Ronna Herman (Arcanjo Miguel) são canalizadores conscientes. Eles estão conscientes de si e das atividades em curso na sala. Eles se concentram os seus sentidos e atenção na entidade que estão canalizando, e em seguida, em interpretar a mensagem. Canais contemporâneos geralmente não deixam seus corpos, ou entregam as suas mentes durante o processo de comunicação.

Canalizar animais de estimação é uma das formas mais fáceis desta arte. Animais de estimação, é claro, não usam a linguagem humana, mas eles têm um forte desejo de se comunicar com os humanos. Basta soltar o conceito de que você ouvirá palavras, e permita-se “sentir” seu animal de estimação. À medida que você se abre para os sentimentos, a mente naturalmente começar a colocar simples palavras ou frases para os sentimentos de modo que sua consciência humana terá um maior entendimento das comunicações. Se você desejar se comunicar de novo com seu animal de estimação, deixe de lado a necessidade de usar palavras. Em vez disso, permita que seus sentimentos se abram e fluam para seu animal de estimação. Nas fases iniciais de trabalho com este tipo de comunicação, pode ser útil imaginar imagens ou visuais quando se comunicar com seu animal de estimação. Quando você se torna mais confiante e mais proficiente em canalizar com o seu animal de estimação, as informações fluirão com rapidez e facilidade, e você não terá o desejo de nem mesmo usar fotos ou imagens.