Aprenda a meditar, excelente video

MSG

Quem Somos

Somos pessoas que acreditam na liberdade de expressão, pessoas que possuem a mente aberta e que independente da raiz estelar que podemos ter vindo, acreditamos que todos somos 1, Amamos a fonte Criadora, amamos a Natureza e a viva mãe Gaia (Terra), não possuímos qualquer placa religiosa por entender que as pessoas se unem pelo amor e não pela placa, no final das contas somos meros 22 gramas nem mais nem menos, o que importa eh a luz que conseguimos irradiar.
Acreditamos sim ter nossas raízes vinda das Plêiades, mas acima disso, acreditamos no poder do infinito onde entendemos que somos mágicos e que a vida tanto na terceira dimensão como em outras eh sempre uma lição a qual vamos sempre aprender coisas novas e fazer novos amigos/irmãos.
Bem Vindos ao Blog dos Plêidianos com AMOR os Saudamos sintam-se em casa.
Luara, Graciano, Priscila e Raquel
❥✫✫✫...¸.•°*”˜˜”*°•.ƸӜƷ ...❥✫✫..¸.•°*”˜˜”*°•.ƸӜƷ ♥ ░░ ♥ ♪ღ♪ ❥✫✫✫...¸.•°*”˜˜”*°•.ƸӜƷ ...❥✫✫..¸.•°*”˜˜”*
Dica: Ouçam nossa playlist ;)


Seja Feliz !

Seja Feliz !
Seja Feliz !

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Bunker Roy e a Universidade dos Pés Descalços

Sinopse:
Sanjit 'Bunker' Roy é um ativista social indiano que, em 1972, fundou a Organização Não Governamental "Universidade dos Pés Descalços" (Barefoot College) no vilarejo de Tilonia, na província indiana de Rajasthan. A Universidade dos Pés Descalços ensina mulheres e homens do meio rural, muitos deles analfabetos, a tornarem-se Engenheiros Solares, Artesãos, Dentistas e Médicos nas suas próprias aldeias a partir dos usos e costumes locais.

TED é uma organização não lucrativa que surgiu em 1984 voltada a ideias que valem a pena serem divulgadas nas áreas de Tecnologia, Cultura (Entertainment) e Design. Ao longo do tempo, várias outras áreas foram incorporadas.

Para saber mais:
http://www.ted.com
http://www.barefootcollege.org

Eckhart Tolle - A Origem do Ego


"Você se identifica com o pensamento e a identificação com o pensamento se torna o ego.
Por que você se subestima? Porque acreditou nos seus pensamentos. E por que você está pensando esses pensamentos? Provavelmente você os colectou, talvez durante a infância, e esses pensamentos ficam presos na sua cabeça. E você acredita que é isso que você é.
Mas você não é o pensamento. Você é a consciência."




http://www.novaterravibrations.com/

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Mude a si mesmo e mude o mundo




Todo mundo nasceu como um indivíduo único, mas, quando ficou maduro o suficiente para participar da vida, o sujeito já se tornou uma multidão.

A maioria das pessoas, no entanto, não está consciente disso.

Se você simplesmente se sentar em silêncio e ouvir sua mente, descobrirá muitas vozes. Você ficará surpreso ao perceber que consegue reconhecer essas vozes muito bem. Uma delas é do seu avô, outra é da sua avó, outra é do seu pai, outra é da sua mãe. Outras vozes são do sacerdote, do professor, dos vizinhos, dos amigos, dos inimigos.

Todas essas vozes estão misturadas numa multidão no seu íntimo e, se você quiser descobrir a sua própria voz, vai ver que é quase impossível; a multidão é grande demais.

Na verdade, você se esqueceu da sua voz há muito tempo. Nunca teve liberdade para expressar as suas opiniões. Você foi ensinado a ser obediente, foi ensinado a dizer sim para tudo o que os mais velhos estavam lhe dizendo.

Ensinaram-lhe que você tem de seguir qualquer coisa que os seus professores ou os seus sacerdotes estiverem fazendo. Ninguém jamais lhe disse para buscar a sua própria voz; ninguém jamais lhe perguntou, "Você tem a sua própria voz ou não?"

Por isso a sua voz continuou muito baixa e as outras vozes são muito altas, muito autoritárias, pois elas eram ordens e você as seguiu — a despeito de si mesmo. Você não tinha intenção de segui-las, conseguia perceber que não era certo. Mas é preciso ser obediente para ser respeitado, para ser aceito, para ser amado.

Naturalmente, só uma voz está faltando dentro de você; só uma pessoa está faltando dentro de você: você mesmo. Tirando você, existe uma multidão inteira aí. E essa multidão está constantemente deixando você maluco, pois uma voz diz, "Faça isto"; e outra diz, "Nunca faça isto! Não ouça essa voz!" E você fica dividido.

Essa multidão precisa ser contida. Essa multidão precisa ouvir, "Agora, por favor, me deixem em paz!"

As pessoas que foram viver nas montanhas ou reclusas na floresta não estavam na verdade abandonando a sociedade; elas estavam tentando encontrar um lugar onde pudessem dispersar essa multidão interior. E essas pessoas que conseguiram encontrar um lugar dentro de você obviamente relutam em sair.

Se você quer, porém, se tornar um indivíduo por seus próprios méritos, se quer se livrar desse eterno conflito e dessa confusão dentro de você, então precisa dizer adeus a essas vozes — mesmo que elas pertençam ao seu respeitável pai, à sua mãe, ao seu avô.

Não importa a quem elas pertençam. Uma coisa é certa: essas vozes não são suas. São vozes de pessoas que viveram em seu próprio tempo, e elas não tinham ideia de como seria o futuro. Elas passaram aos filhos suas próprias experiências, e essas experiências não vão combinar com um futuro desconhecido.

Elas acham que estão ajudando os filhos a ficarem informados, a serem espertos, para que a vida deles possa ser mais fácil e mais confortável, mas elas não estão fazendo a coisa certa.

Com todas as boas intenções do mundo, elas destroem a espontaneidade dos filhos, a consciência deles, a capacidade que eles têm de se sustentar sobre as próprias pernas e responder ao novo futuro do qual seus ancestrais não faziam ideia.

Cada criança enfrentará novas tempestades, vai enfrentar novas situações, e ela precisa de uma consciência totalmente nova para responder. Só assim a sua resposta vai ser frutífera; só assim ela poderá ter uma vida vitoriosa, uma vida que não seja um longo e tedioso desespero, mas uma dança a cada momento, que se torna mais e mais profunda até o último suspiro. A pessoa entra na morte dançando, e alegremente.

Fique em silêncio e encontre o seu próprio eu.

A menos que você encontre o seu próprio eu, será muito difícil dispersar a multidão, pois todos nessa multidão estão fingindo, "Eu sou o seu eu!" e você não tem como concordar ou discordar.

Por isso não provoque nenhuma briga com essa multidão. Deixe que briguem entre si — essas vozes sabem muito bem como brigar entre elas. Enquanto isso, tente se encontrar. E depois que souber quem é, você pode simplesmente mandar que saiam da sua casa — é na verdade simples assim!

Mas primeiro você tem que se descobrir. Quando você está presente, o senhor também está. O dono da casa está presente e todas essas pessoas, que estão fingindo que são os senhores, começam a se dispersar.

A pessoa que é ela mesma, que se livrou do fardo do passado, que não tem compromisso com o passado, que é original, forte como um leão e inocente como uma criança, pode alcançar as estrelas, ou ir até além delas; seu futuro é dourado.

Até o dia de hoje, as pessoas têm falado do passado dourado. Temos que aprender a linguagem do futuro dourado. Você não precisa mudar o mundo inteiro; se mudar simplesmente a si mesmo você terá começado a mudar o mundo todo, pois você faz parte dele.

Se um único ser humano mudar, essa mudança irradiará para milhares e milhares de outros seres humanos.

Você se tornará um gatilho para uma revolução, que pode fazer surgir um ser humano completamente novo.


Osho, em "Transformando Crises em Oportunidades"

Leia mais: http://www.palavrasdeosho.com/#ixzz2DvbMqgmp

Osho: Crescendo na real prosperidade



Pergunta a Osho:

Parece-me que os seres humanos sentem que ser eles mesmos não é suficiente. Por que a maioria das pessoas tem tal compulsão para atingir o poder e o prestígio, em vez de apenas ser simples seres humanos?Essa é uma questão complicada. Ela tem dois lados, e ambos têm de ser entendidos. Primeiro: você nunca foi aceito por seus pais, professores, vizinhos e pela sociedade como você é.

Todos tentaram modificá-lo, torná-lo melhor. Todos apontaram as falhas, os equívocos, os erros, as fraquezas e as fragilidades que todos os seres humanos estão sujeitos a ter. Ninguém enalteceu sua beleza, sua inteligência; ninguém enalteceu sua grandeza.

Só o fato de estar vivo já é um presente, mas ninguém jamais disse para estar grato à existência. Pelo contrário, todos estavam amargurados, reclamando.
Naturalmente, se tudo o que cerca sua vida desde o início vai lhe mostrando que você não é o que deveria ser, vai lhe dando grandes ideais que você deve seguir, que você deve atingir, seu ser nunca é louvado. O que é louvado é seu futuro, se você puder se tornar alguém respeitável, poderoso, rico, intelectual, de alguma forma famoso, e não um simples zé-ninguém.

O constante condicionamento criou em você a ideia de que "eu não sou suficiente como sou, alguma coisa está faltando. E tenho de estar em algum outro lugar, não aqui. Não é neste lugar que eu deveria estar, mas em algum outro lugar mais alto, mais poderoso, mais dominante, mais respeitado, mais bem conhecido".

Essa é a metade da história, que é feia, e não deveria ser assim. Isso pode ser simplesmente removido se as pessoas forem um pouco mais inteligentes como mães, como pais, como professores.

Vocês não devem corromper as crianças, sua auto-estima, sua aceitação de si mesmas; devem ajudá-las a crescer. Do contrário, vocês serão um obstáculo ao crescimento. Essa é a parte feia, mas é a parte simples. Ela pode ser removida, porque é muito simples e lógico perceber que você não é responsável pelo que é, foi a natureza que o fez assim. Agora, chorar desnecessariamente sobre o leite derramado é pura estupidez.

Mas a segunda parte é tremendamente importante. Mesmo que todos esses condicionamentos sejam removidos, que você seja desprogamado, que todas essas ideias sejam retiradas de sua mente — ainda assim você vai sentir que não é suficiente; mas essa será uma experiência totalmente diferente. As palavras serão as mesmas, mas a experiência será diferente.

Você não é suficiente porque pode ser mais. Não será mais uma questão de se tornar famoso, respeitável, poderoso, rico. Essa não será mais sua preocupação. Sua preocupação será a de que o seu ser é apenas uma semente.

Ao nascer você não é como uma árvore; você nasce apenas como uma semente, e tem de crescer até o ponto em que floresça; e esse florescimento será seu contentamento, sua realização.



Esse florescer não tem nada a ver com poder, com dinheiro, com política. Tem algo a ver com você; é um progresso individual. E, para isso, o outro condicionamento é um obstáculo, uma distração; é um mau uso do desejo natural de crescer.

Cada criança nasce para crescer e se tornar um ser humano completo, com amor, com compaixão, com silêncio. Ela tem de se tornar uma celebração em si mesma. Não é uma questão de competição, nem mesmo uma questão de comparação.

Mas o primeiro condicionamento o distrai devido à necessidade de crescer, à necessidade de se tornar mais, à necessidade de expandir, que é utilizada pela sociedade, pelos interesses estabelecidos.

Eles distorcem tudo. Enchem sua mente de tal maneira que você passa a pensar que essa necessidade é a de ter dinheiro, que essa necessidade significa estar no topo todos os dias, na educação, na política. Onde quer que você esteja, tem de estar no topo: menos que isso e você sentirá que não está fazendo algo bem, sentirá um profundo complexo de inferioridade.

Todo esse condicionamento produz um complexo de inferioridade porque visa a torná-lo superior, superior aos outros. Ele ensina a competição, a comparação, ensina a violência, a luta. Ensina que os meios não importam, o que importa são os fins — o sucesso é a meta. E isso pode ser facilmente realizado porque você já nasce com uma necessidade de crescer, com uma necessidade de estar em outro lugar.

Uma semente precisa fazer uma longa viagem até se transformar em flor. É uma peregrinação. A necessidade é bela. Ela lhe é dada pela própria natureza. Mas a sociedade, até agora, tem sido muito esperta; ela altera, desvia, distorce seus instintos naturais em algo de utilidade social.

Esses são os dois lados que lhe dão a sensação de que, onde quer que você esteja, algo está faltando; você quer ganhar algo, alcançar algo, tornar-se um realizador, um alpinista.

Agora, é preciso ser inteligente para perceber qual é sua necessidade natural e o que é o condicionamento social. Corte o condicionamento social — é tudo porcaria —, de forma que a natureza permaneça pura, não poluída.

E a natureza é sempre individualista. Você crescerá e florescerá, e poderá ter muitas rosas. Alguns podem crescer e se tornar margaridas. Você não é superior porque tem rosas; ele não é inferior porque tem margaridas. Ambos floresceram, esse é o ponto; e esse florescimento traz um profundo contentamento.

Todas as frustrações, todas as tensões desaparecem; uma profunda paz prevalece sobre você, a paz que ultrapassa o entendimento. Mas primeiro você deve eliminar completamente a porcaria social; de outra forma ela o distrairá.

Osho, em "Dinheiro, Trabalho, Espiritualidade"

http://despertandodeuses.blogspot.com.br/2012/11/osho-crescendo-na-real-prosperidade.html?spref=fb

domingo, 25 de novembro de 2012

Um novo modo de viver - Parte 1

Retirado do livreto: Paz e Amor bicho!
A Alimentação, a luz do cosmos
Este livreto eh uma parceria entre a Editora do Conhecimento, GRUPO DE ESTUDOS RAMATIS DE PORTO ALEGRE e o INSTITUO DE PESQUISAS GALÁCTICAS DO BRASIL. 

Introdução
Os que herdarão a Terra
"Bem aventurados os mansos, porque eles herdarão a Terra"
Jesus
Ha tanto que ser mudado,  se quisermos construir o mundo melhor que eh necessidade imperiosa de nossas consciências neste limiar de Nova Era...
Codigos, instituições, relacionamentos, a produção e distribuição dos bens da Terra, a educação, a perspectiva da ciência, a religiosidade, as artes curativas, a politica, as artes...
Tanto a ser mudado - e talvez um unico fator, uma chave magica nos daria entrada nesse mundo novo - cujo teritorio, afinal, jaz no interior de nossas consciências, sendo o mundo la fora mero reflexo.
Essa pequena chave de acesso chama-se "respeito a Vida".
Não ha una unica miseria, violência, desonestidade, injustiça, desequilibrio individual neste planete que não resulte na ausência, em qualquer grau, desse valor essencial; começando pelo respeito incondicional ao ser humano - qualquer ser humano, seja como ou qual for - e estendendo-se a todas as formas de vida.
Não nos foi ensinado, desde que nascemos que a vida eh sagrada, e divino que habita tidas as formas, podemos passar indiferentes por um ser divino jogado na calçada, podemos conviver com a existecia de crianças com fome e velhos desamparados - todos divinos, admitimos a guerra, a pobreza e a desigualdade, a destruição da Terra e de seus filhos menores,
Em suma: assistimos inertes ao desrespeito a Vida.
A Vida, a Vida Divina, chama sagrada que anima a todos os entes, não eh o objeto de nossa reverencia, e amor: Inúteis serão todas as nossas religiões e crenças, enquanto não ensinarem a humanidade a vivenciar essa suprema verdade.
Por trás de coisas a priori tão diversas como um plantador de arroz envenenando flora e fauna com seus pesticidas, industriais jogando metais pesados na aguá que vamos beber, um motorista que ignora um idoso no ponto de onibus, um traficante com drogas na porta de uma escola, um carroceiro que espanca seu cavalo,um jovem que mata os pais, pais que matam filhos, um politico corrupto desviando verbas sociais, a multilação e matanca dos jovens nos matadouros civis - uma unica e verdadeira causa: nos não respeitamos a Vida, Ela não eh para nos um calor supremo ( soh nos nos textos )
Sua sacralidade não basta para deter a mão dos torturadores, paralisa os linchadores, inibi os violentadores, coibi os assassinos passionais, Por que?
Ninguem ensinou os maridos homicidas que não são donos da vida; nem aos adolescentes violentados pela miseria que uma vida vale mais que um par de tenis alheio. Por que?
Porque nos, coletivamene nao respeitamos essa Vida, de modo incondicional. E enquanto permanecemos na ilusão de que pode pedir paz e exigir segurança num mundo sem esse respeito essencia, enquanto admitirmos a crueldade e a destruição de qualquer forma de vida inocente, tudo que fizermos sera incapaz de mudar verdadeiramente o mundo.
A unica argamassa definitiva capaz de cimentar a construção desse Mundo Melhor, sera a consolidação na qual a consciencia coletiva, desse principio simples e dificil: A Vida eh Sagrada. Um unico artigo, Sem paragrafos, Sem exceções.
Para as criaturas de boa vontade que sinceramente desejam colocar-se no rol dos servidores da Vida, dos seres mansos pacificos, unicos que poderão renascer dentro em breve nesta planetinha  ha uma perplexidade: Por onde começar? São tão vastas as mudanças requeridas de atitudes, comportamento e habitos! O que pode fazer um unico se humano no âmbito de sua singela Vida?
Ha uma sugestão simples, concreta e acessivel, e contudo de alcance inimaginavel: PARE DE MATAR ( OU RETIRE A PROCURAÇÃO PARA QUE O fAÇÃO POR VOCÊ ).
Como? Você seria incapaz disso?
Confira por favor no seu prato de cada dia.
Se ha seres animais sendo mortos para s e transformarem em sua refeição - sendo isso, como eh tão desnecessario quanto nocivo a saude  evidentemente o respeito a Vida NÃO SENTA A MESA JUNTO A VOCÊ.
Não existem vidas maiores ou menores: existe a Vida.
E onde existe sensibilidade a dor ao sofrimento causa-los eh incorrer no pior de todos os carmas: o da crueldade.
Ha uma atitude individual concreta, possivel e infinitamente poderosa, por seu alcance que qualquer um de nos, que eh hoje a transformação desse mundo violento e biocida num outro pacifico e fraterno: respeitar a Vida. Começando por defender o direito a Vida daqueles que a humanidade intitula indevidamente de comida.
Podemos ensinar a nossos filhos o respeito incondicional a todas as vidas; podemos ensina-los a respeitar e amar passaros, insetos, gatos e cachorros, baleias, tartarugas- marinhas, golfinhos e mico-leões dourados; mas não podemos desmentir isso quando nos sentamos a mesa. Não podemos amar e matar; respeitar e destruir tudo ao mesmo tempo. E se a nossa reverencia a Vida for genuina, sera contagiosa. E se a nossa reverencia a Vida for genuina sera contagiosa, E uma criança nossa defendera um caracol de ser pisado, levara gentilmente um inseto perdido ate a janela - e nunca, nunca, nunca, podera ferir nenhum ser humano, Como nunca admitiu ou viu admitir que nenhum ser vivo fosse ferido.
Utopia? Não. Existem criadas assim.
Se houvesse mais, nos poderiamos sair tranquilos pelas ruas a noite. Se houvesse muitas, seria impossivel a qualquer demente com poder levar pessoas a guerra ( alias, nçao haveria dementes no poder ).
E se elas fossem a totalidade das crianças da Terra, esta ja sera aquele Mundo Melhor.
Paz e Amor, bicho !
I - POR TRAS DA fOME DO MUNDO
Detesto exceções e privilegios. O que não pode ser de todos, não o quero pra mim. 
Ghandi
Planeta Terra:
7 bilhões de pessoas - 925 milhões com fome crônica. Esta faltando alimentos? Não. O que falta eh consciência.
Você sabia que, se numa area de terra qualquer, cultivarmos forrageiras para alimentar o gado, este afinal ira alimentar MIL pessoas: mas, se nessa mesma area plantarmos grãos, serão alimentadas por eles quatorze mil pessoas? Essa eh a proporção real: 14 por 1.
Multiplique isso por milhares. Por milhões. E sabera para onde vai a comida das crianças famintas do planeta Terra.
O que levou um diretor do conselho de Proteina da ONUa declarar, com todas as letras: " os grãos das classes pobres estão sendo desviados para alimentar o gado dos ricos"
Mais precisamente, um terço dos grãos do mundo vira comida animal.
E mais: os animais de corte são verdadeiros "sumidouros de proteinas". De toda a proteina que um boi consome - 100% - sabe quanto ele vai devolver? Dez por cento.
Isso faz da carne o alimento mais anti-economico e elitista do planeta. Enquanto milhões de pessoas morrem de fome, utiliza-se imensas extensões de terra, agua e grãos para criar e alimentar animais para suprir os consumidores de carne.
So o rebanho bovino do Brasil tem 172 milhões de cabeças. Uma para cada brasileiro! Cada um desses bovinos recebe, com certeza, melhor alimentação do que nossos milhões de crianças subnutridas e famintas.
Tomemos a soja, uma fonte magnifica e barata de proteinas, O Brasil esta coberto de um mar de soja, A America do Sul eh o maior exportador de soja DO MUNDO - Brasil e Argentina exportaram 86 milhões de toneladas na ultima safra.
Um pais assim não deveria ter desnutridos nem famintos. Mas, o que acontece com a nossa soja? Em vez de alimentar pessoas, vai alimentar o gado do Primeiro Mundo, para os que pagam em dolares aos nossos produtores, Que dormem tranquilos, a noite, sem sequer cogitarem do significado social do alimento que plantam.
O que nos leva a uma questão igualmente nevralgica.
O alimento que a Terra generosamente porduz para o sustento de todos os seus filhos, devia ser um patrimonio de toda a humanidade, São as energias do Sol, armazenadas pelos vegetais - que nos sçao doadas de graça. Por que razão nos permitimos que essa dadiva da natureza para sustentar a humanidade se transformasse em objeto de lucro de uns pocos, em detrimento de todos?
O alimento devia ser produzido e consumido por cada comunidade, para nutrir os homens; mas nos o transformamos em objeto de comercio, E de lucro! E enquanto as industrias de alimentos - as segundas mais lucrativas do mundo enriquecem alguns, o alimento necessario eh negado as classes miseraveis, Transformar os frutos da Terra em objeto de comercio, especulação e lucro eh tão imoral como pretender-se vender a luz do Sol ou ar.
A Terra pode perfeitamente produzir o suficiente para alimentar toda sua população atual e amis ainda. Bastaria que alimentassemos pessoas em vez de gado.
Consumir carne nos faz mesmo a contragosto coniventes com a fome, a destruição, e a especulação e o lucro daqueles que ganham com esse desperdicio energetico que assola o planeta.
NOSSO MODELO ORIGINAL DE fABRICA 
O conflito não eh entre o bem e o mal, mas entre o conhecimento e a ignorância
Buda
Se compararmos a maquina humana do Homo Sapiens ( homo sapiens sapiens para mim Priscila hehe...) com os dois modelos basicos carnivoro e herbivoro, eh dificil não perceber o obvio: Nosso modelo NÃO eh o carnivoro.
Os carnivoros receberam de fabrica dentes caninos frontais, afiados para rasgar a carne da presa e não possuem molares as mesmas qualidade que os molares dos herbivoros que são especificos para trituração de alimentos ( de uma olhada nos dentes do seu gato ).
DENTIÇÃO HUMANA                          DENTIÇÃO CARNIVORA
              

DENTIÇÃO HERBIVORA


 Ja os herbívoros e o homem não tem caninos frontais e possuem pre frontais. E possuem pre-molares e molares, uma eficiente maquina trituradora de grãos e sementes. Bem claro não?
Alem disso, a saliva: a dos carnivoros não possui ptialina, uma substancia que promove a pre-digestão na boca dos amidos, (presente nos vegetais) A dos herbívoros e do homem a possuem!
Os canivoros não mastigam a carne. Sua digestão começa no estomago que possui um suco gástrico poderoso, vinte vezes mais acido que a dos herbivoros para digerir carnes e ossos.
Mas o mais importante distintivo da especie humana e dos herbivoros eh o intestino.
O intestino dos carnivoros se destina a dar trânsito a carne, uma substância repleta de toxinas. O que fez a engenharia da mãe natureza? Um conduto curto, 3 vezes no máximo o tamanho do animal e sem reentrâncias para que os resíduos venenosos sejam eliminados rapidamente.  Ja os herbivoros e o homem tem o que? Longos intestinos, 10 a 12 vezes o tamanho do corpo e repleto de vilosidades que são reentrâncias e saliências que aumentam a superficie da absorção dos vegetais. Claríssimo não eh?
E o que faz o Homo dito Sapiens?
Coloca no seu motor a vegetais o combustivel inadequado e medonho da carne. Toxinas. Essas substâncias ficam transitando lentamente pelo seu longo intestino herbivoro e elas tem um longo tempo e uma estrutura infernalmente propicia para absorve-las ao inves de livrar-se delas.
Isso eh pior do que colocar oleo diesel queimado no motor de uma ferrari.
Imagine o efeito de anos, decadas desse processo de envenenamento lento e eh facil entender porque as pessoas adoecem tanto e padecem de prisão de ventre, colite, apendicite, pele flacida e envelhecida, as juntas enferrujadas e tem alergias, gases, halitose e muito mais.
Continua na próxima postagem...

domingo, 30 de setembro de 2012

DESABAFO DIVINO


“Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa. Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti. Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que tefizeram crer. Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro! Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho? Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti. Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia. Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas. Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro. Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno. Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse. Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei. E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais gostaste? O que aprendeste? Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti. Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam. Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido?... Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar. Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações? Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro... aí é que estou, batendo em ti.”
http://wwwjaneladaalma.blogspot.com/search?updated-max=2012-01-13T04:48:00-02:00&max-results=2

WAKE UP CALL - CHAMADO PARA ACORDAR DOS PLEIDIANOS

VIDEO LEGENDADO POR MIM, PRISCILA, O VIDEO CONTEM UM PEQUENO RESUMO DO QUE ACONTECCEU COM A TERRA E O QUE ESTA POR VIR, EH UM CHAMADO PARA FAMILIA DA LUZ ENVIADO PELOS PLEIDIANOS.
ENJOY


PARTE 1 PARTE 2 PARTE 3

terça-feira, 11 de setembro de 2012

O que é Tantra?


Esta é uma das páginas mais importantes do site, portanto leia e veja se você consegue entender e sentir o que lê. Leia quantas vezes achar necessário. Esta é a base para todo o resto do site.

Normalmente as definições de Tantra que você encontra por aí,são mais ou menos assim:

A raiz sânscrita da palavra Tantra é: "Tan" – que significa expansão e "tra"- liberação, ou"tanoti" e "trayati". Assim, podemos interpretar a palavra Tantra como o caminho da libertação através da expansão. Juntamente com as definições acima, você também encontrará muita referência ao sexo espiritual.

Mas é muito difícil definir o Tantra em palavras. Seria o mesmo que tentar definir o que é amor, você saberia dizer?

Tantra é um mistério, uma descoberta,é a expansão da mente, do corpo e da alma. É viver em harmonia com a força da vida que está ao redor e dentro de nós.O Tantra não é para ser entendido intelectualmente, é para ser vivido, experimentado.

Mas, de alguma forma, vamos tentar explicar:


No ocidenteé muito comum confundir"Tantra" somente com posições sexuais, orgasmose técnicas sexuais. É claro que o sexo faz parte do tantra, afinal o sexo faz parte da vida.

Tantra é um modo de vida. Tantra é viver e aproveitar a vida em seu máximo, sem barreiras, com a mente livre do passado e das expectativas do futuro.

Tantra é muito mais uma atitude em relação à vida, do que crenças, comportamentos ou regras. No Tantra não há dogmas sobre a maneira certa de se fazer as coisas. Não tem manual, desempenho, e nenhumscript que você tenha que seguir.

O Tantra diz "sim" a tudo o que é.

Em nossa sociedade e cultura, somos ensinados a racionalizar nosso modo de viver, fazer julgamentos sobre o que é certo ou errado e lutar contra aquilo que não está de acordo com nossas "expectativas".

O Tantra em contraste a tudo isso, nos ensina a aceitar tudo o que está acontecendo e fluir nisso sem stress.Expandindo nossa consciência e, movendo nossa energia através de tudo o que a vida nos apresenta.

Tudo é sagrado, e o Tantra lhe diz "dê boas vindas" a todos os seus mais "loucos" pensamentos, desejos e sentimentos. Isso significa amar todas as partes de você mesmo e aprender com elas. Não se julgue "mau" ou qualqueroutra coisa, mas aprenda quem você é, se aceite!

E para quem é o Tantra?


Tantra é para pessoas corajosas, adultas, de coração aberto, confiante e aventureiro, que questionam, buscam o inexplorado, o prazer da incerteza, a emoção do desconhecido e a experiência direta.

Transferência de energia



Sempre que corpos se unem, num beijo, num abraço ou até num simples toque, ocorre uma troca energética. Se a união é sensual, num beijo ou num ato sexual, a liberação energético-informativa hormonal que ocorre estimula todas as células do corpo e torna a transferência energética muito mais intensa. A relação sexual é uma troca íntima de fluidos vitais, hormônios e energia sutil. O clímax, no orgasmo, é o ápice na formação de um vínculo energético. Cria-se uma memória energética celular comum, um evento energético que liga permanentemente os dois parceiros. Desse ponto de vista, não há sexo seguro, pois sempre há troca e vínculo energéticos que fazem com que o parceiro permaneça em nós. E esse vínculo se torna mais profundo ainda quando a relação sexual se faz durante o período menstrual feminino.
Dessa forma, como dentro da experiência sexual há uma troca química, hormonal e energética profunda, se o ato sexual é efetuado com pessoas fora de sintonia com a nossa freqüência pessoal, todo o“lixo” daquela pessoa virá como um “presente de grego”, desarmonizando a nossa vibração. Em vez disso, é preferível explorar a energia sexual através da masturbação ou simplesmente observar quando a excitação sexual surge e decidir não fazer nada com ela, ou incorporá-la através de exercícios de pranayama.


Sem amor, porque querer nos ligar permanentemente a alguém que pouco ou nada conhecemos. O verdadeiro amor não é possessivo e não busca incessantemente o sexo, pois por si só já é desapegado e já é fonte inesgotável de prazer. Falar de amor com o coração não é falar de mim ou do outro, mas falar de nós. O coração une, o cérebro separa. Atualmente, quando se fala de amor, se fala de satisfação de carências do ego. Ama-se com o cérebro e não com o coração.

Não mais se ocupa o ser na busca de soluções existenciais ou em ações criativas ou artísticas. Não se busca mais o novo nem se vive o agora. Estamos mergulhados numa rotina oca e repetimos o que a moda dita. Ser atraente sexualmente e “livre” é a moda atual e vive-se na busca de valores sensoriais. Na falta de uma maneira mais profunda de se viver, se mergulha no prazer dos sentidos como uma fuga, e o sexo é o maior desses prazeres. A sexualidade, que deveria ser uma ponte a níveis mais elevados de consciência, perde-se no instinto e no apego sensorial, e erra o alvo correto que deveria ser a espiritualidade e a ligação espiritual entre dois seres.




E esse apego sensorial ao sexo é tão envolvente e viciante que, se baseando na verdade de que o amor não aprisiona e afirmando que “amo a todos os seres”, muitas pessoas, que se dizem “espiritualizadas” e amorosas, aplacam a sua insaciável sede de prazer sexual e sensual. Grande auto-indulgência. Não são capazes ainda de olhar, verdadeiramente, para si mesmas, e assim justificam a sua promiscuidade e prisão aos sentidos numa aparência de “alta espiritualidade”.

Não se busca a interiorização, o autoconhecimento, mas vive-se aprisionado no mundo exterior, mergulhado num ambiente repleto de agentes estressores causadores de doenças físicas, emocionais e mentais. E são esses fatores que dificultam a troca energética, mesmo na existência de um amor verdadeiro entre um casal.
A nível sexual, a disfunção erétil (impotência), a ejaculação precoce e a frigidez feminina estão cada vez mais freqüentes. A ansiedade, o medo e as culpas são as causas mais comuns desses transtornos, que bloqueiam importante quantidade de energia a nível mental e emocional. Esses sentimentos e emoções desequilibram o SNA, estimulando o simpático e inibindo o parassimpático, causando os sintomas físicos.



Para a grande maioria da humanidade, a energia sexual, descarregada no momento do orgasmo, revitaliza e limpa o organismo, desfazendo bloqueios e tensões. Dessa forma, ela é importante para o bem estar físico. Quando o ato sexual é feito, não como modo de satisfazer a libido, mas como uma comunhão profunda, um dar e receber mútuo, com o tempo se consegue experimentar a unidade. É uma experiência sagrada, onde ocorre o casamento dos aspectos físicos e espirituais do casal. Necessária àqueles que ainda não experimentaram essa unidade com o Universo, essa descarga energética não é mais necessária ao bem-estar pessoal àqueles já em unicidade com o Todo.
“Se você estiver se movendo no Tantra, então nenhum outro amor deve ser permitido, do contrário ele dissipa a energia. Mas sempre que vocês quiserem fazer amor, tenham certeza de que têm tempo suficiente. Não deve ser com pressa. Não deve ser como trabalho. É um jogo, brincadeira, e estas energias são tão sutis que, se vocês estiverem com pressa, nada acontece. O Tantra não é um fragmento. Você não pode praticá-lo a menos que crie a situação. Ele é como uma flor...[deve-se] jogar a semente, cuidar da planta, regá-la e estar continuamente atento a ela, sendo cuidadoso, protetor. Então, um dia, de repente, a flor do Tantra irá acontecer”.


Mohan Chandra Rajneesh – Osho














Com o passar do tempo, não conseguiremos mais nos aproximar de eventuais parceiros que não estejam operando na mesma vibração energética, simplesmente porque não ficará mais confortável: as vibrações não serão harmônicas. Tanto faz se a aproximação seja um simples toque, um abraço, beijo ou uma relação sexual. Com a prática, sempre com o mesmo parceiro evolutivo, os orgasmos vão ficando cada vez mais longos e intensos, porque o corpo físico começará a suportar, cada vez mais, as altas freqüências energéticas geradas, até que, em alguma ocasião, se experimentará um êxtase divino: encontrar-se-á a Deus.

Mais info em:

http://www.viagemastral.com/gva/viewtopic.php?f=9&t=6884

http://pistasdocaminho.blogspot.com.br/2009/12/transmutacao-da-energia-sexual-1-parte.html

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

TRECHO DO LIVRO: MENSAGEIROS DO AMANHECER

Link para download do livro: AQUI

Comecem a perceber que a porção de vocês que opera fora da lógica
lhes está ensinando alguma coisa. Está dando a vocês, em primeira mão, a
experiência de como a maioria da população opera e o que terão que fazer
para atingir os outros. É bem fácil mudar para a intuição e operar através
dela, completamente entregue; contudo, se não possuissem a dualidade da
compreensão através da mente lógica, com o passar do tempo se tornariam
muito impacientes com o resto da humanidade.
Os seres humanos foram controlados por frequência durante muito
tempo. Acostumaram-se tanto à frequência controladora, a mente lógica
desenvolveu-se tanto recentemente, que existe muito medo e desconfiança -
uma parte negra do ser tão controlada que amedronta as pessoas, impedindoas
de chegar até ela e acreditar que é possível receberem informações por si
mesmas. Se imaginarem as entidades que modularam a maneira pela qual os
seres humanos transmitiam suas frequências rearranjando o seu DNA, além
de criar várias cenas e eventos neste planeta - e canalizando o resultado
desta energia psíquica através de vários portais em direção ao espaço, por
razões particulares - verão aquilo que estão combatendo.
Existem seres querendo que vocês, e o planeta inteiro, funcionem
unicamente através da lógica - uma lógica aterrorizante. O melhor conselho
que podemos lhes dar, nesta situação, é que usem esta mesma lógica.
Digam: "Estou sendo lógico agora, observando o que faz minha mente
lógica. Ela está querendo assumir o controle. Disseram-me que era assim.
Disseram-me também que existia outra forma de funcionarmos igualmente
verdadeira. Vou simplesmente observar como me inclino ora para um lado,
ora para outro. Sinto raiva? Estou inseguro? O que me traz elevação? O que
me traz segurança?
De que modo cada forma de pensamento age em mim? O que estou
percebendo em relação a mim mesmo? Como estou me sentindo?"
Observem e procurem compreender tudo isso. Digam, então: "Agora que dei
a todos a oportunidade de subirem ao palco, o que é que eu quero?
Reafirmem o que vocês querem. Vocês sabem que desejam evoluir. Já
perceberam que a volta cíc1ica à dúvida faz, na verdade, parte do Plano
Divino?
Faz parte da necessidade de compreender o que os outros, que seguirão
os vossos passos, terão de enfrentar. Precisam aprender a abrir o
vosso centro da compaixão, ou o chakra do coração, que é uma das coisas
mais difíceis para vocês. Aprendam a sentir compaixão por si mesmos e
pelas outras pessoas, pois todos possuem a coragem de desapegar-se e
sentir. É muito importante observar como lidam com os acontecimentos.
Diversos eventos são trazidos até vocês para que possam observá-Ios.
Aprendam a observar o vosso comportamento e a passar mais tempo
sozinhos - mesmo à custa de se sentirem solitários. Com o passar do tempo,
irão nos agradecer muito por tê-Ios orientado a buscar um encontro mais
significativo consigo mesmos. Vocês possuem a riqueza e a maturidade que
pode conduzi-Ios à realização plena. Existe uma ordem dentro da qual
98
operam que uma parte de vocês não é capaz de enxergar. Às vezes, quando
uma das vossas partes está operando sem visão, ocorrem eventos que os
puxam para trás.
Tenham em mente que, neste novo caos de consciência, confusão,
mudança, incerteza, existe uma ordem divina. Podemos comparar esta
situação ao processo de fazer um bolo. Cada ingrediente da receita é, em si,
integral, completo e possui sentido de estrutura próprio: os ovos, a farinha, a
manteiga, o açúcar. Quando começam a misturá-Ios, tem-se a impressão de
caos. Um observador poderia dizer: "Vocês estão destruindo tudo. Vocês
destruiram esse ovo. Aonde foi parar o açúcar? Vocês estão destruindo
todos os elementos essenciais!" Este observador provavelmente desconhecia
a fórmula catalizadora mágica do calor.
No momento em que todas as estruturas individuais começam a
derreter e a fundir-se num caos aparente, denotase a presença de uma
energia catalizadora no planeta. Algo novo nascerá deste processo,
exatamente como um bolo nascedo caos provocado pela mistura de
determinados ingredientes. Muitas pessoas no planeta não percebem a
existência de uma ordem superior por trás do caos - e de que existe uma
receita sendo seguida. Cada um de vocês possui um papel específico dentro
dessa receita.

Trecho do livro: Mensageiros do Amanhecer de Marcia Marcianik

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Regressão ou recordação de vidas passadas (RVP)



As chaves para recordar as vidas (existências passadas) são sumamente simples, devemos lembrar de tudo o que já foi dito em diversos textos deste site referentes ao Despertar da Consciência. A Chave suprema é esta: Despertar para conhecermos Quem Somos, De Onde Viemos, Para Onde Iremos e Qual É Nossa Missão Neste Mundo!

Mas existem exercícios que nos ajudam a “puxar” os dados referentes aos fatos de nossas vidas anteriores, para que possamos nos autoconhecer mais e melhor. Não é delito ou perigoso mexermos nos “Arquivos Mortos” de nossas existências anteriores. Pois existem inúmeros dados que podemos rever para descobrirmos quem realmente somos, por que estamos tendo uma determinada forma de vida hoje e o que podemos fazer para “transcender” nossos Karmas, nossos Processos de Vida, hábitos, depressões, perdas de entes queridos etc.

Os estudos e práticas gnósticos nos ajudam nesta Caminhada rumo à Transcendência de nossas vidas, caso queiramos e tenhamo Conhecimento e Força suficientes para tal.

Devemos, em primeiro lugar, recordar a famosa Lei de Retorno e Recorrência: Segundo a Gnose, nós repetimos sempre a mesma vida, a mesma mecânica, ou seja, os mesmos relacionamentos, hábitos, desejos, projetos, dramas, tragédias e comédias. O Ego retorna de existência em existência, o que muda é somente o cenário onde é representada a nossa tragicomédia, mas os atores (os eus psicológicos, nossos condicionamentos mentais) continuam sempre os mesmos.

Todos os que receberam o Conhecimento esotérico agora provavelmente já o receberam em outras existências, pois somos muito velhos, somos a humanidade que anda errante, tropeçando infelizmente há séculos, seguindo sempre os mesmos erros e defeitos
.

Existem três chaves para recordar as existências passadas. A primeira são os Exercícios de Retrospecção, a segunda são os Mantras para a RVP e a terceira é o que já mencionamos acima, o Despertar da Consciência.

A primeira chave requer a prática constante do relaxamento físico e o exercício retrospectivo de nossa vida atual. Com o exercício retrospectivo iremos regressando com nossa memória até nossas origens e, ao relaxarmos profundamente e adormecermos, nossa Consciência será levada a relembrar o passado.

O Exercício de Retrospecção é nada menos que uma “repassada” , uma “recordada” de tudo o que fizemos, por exemplo, durante o dia de hoje. Ao final da noite, acostados na cama ou sentados nela (para não pegarmos no sono facilmente), iremos rememorando os principais fatos de dia de hoje. Assim faremos todos os dias, até nos acostumarmos à Retrospecção Diária.

Depois de alguns dias de Prática, faremos o mesmo exercício, só que agora semanalmente. Ou seja, faremos a Retrospectiva Semanal, relembrando e “tomando consciência” da semana que passou. Depois de algumas semanas de prática, faremos a Retrospecção Mensal. Enfim, poderemos nos arriscar valorosamente e realizar essa Retrospecção até a data mais distante que pudermos nos recordar.

Com esse exercício, chegaremos a nos lembrar dos fatos ocorridos nos primeiros anos de nossa vida. Normalmente o estudante tem muitas dificuldades ao tentar recordar fatos ocorridos de dois anos para trás, até o nascimento propriamente. Neste momento, depois de se tentar “forçar” a memória, iremos pedir auxílio a uma Força Poderosa dentro de nós, que é nosso SER DIVINO, nossa Mãe Divina, que é nosso próprio Espírito Divino porém desdobrado como se fosse Nossa Senhora Interna, Íntima.

Todas as noites, depois desses exercícios retrospectivos, iremos nos deitar e com muita fé e devoção, pedimos e suplicamos intensamente à nossa Mãe Divina, ao Ser Divino que existe dentro de cada um de nós, que reside em nossa Alma, para que nos ajude a penetrar nos mais profundos setores de nosso Subconsciente, onde estão as lembranças mais profundas de nossa infância, até o momento, se possível de nosso parto, de nosso nascimento.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Os Símbolos de Shiva e seus Significados.




Shiva é representado de várias formas na arte indiana, porém seus símbolos característicos são:


•O touro sagrado.
•A tigela de mendigo.
•Seu assento, que geralmente é uma pele de tigre ou pantera.
•Cabelo longo, amarrado no topo da cabeça na forma de um “coque”.
•O tridente, (trishula) símbolo de seu poder.
•O sagrado rio Ganges caindo em sua cabeça e fluindo ao seu lado
•Uma lua crescente que ostenta no topo da cabeça
•Várias serpentes em volta do seu pescoço e ombros.



Além desses símbolos, outro bastante importante é o seu terceiro olho vertical. No “Sri Shiva Tattva” esse olho é descrito como: “o olho frontal, o olho de fogo, é o olho da percepção superior. Ele olha principalmente para dentro de si, mas quando é direcionado para o mundo externo, queima tudo o que vê. Foi por um olhar do terceiro olho que Kama, a divindade do amor, foi transformado em cinzas e por esse olhar os deuses e todos os seres criados são destruídos em cada destruição periódica do universo”.

Vamos falar sobre cada um desses símbolos:

•A pele de tigre:


O tigre é o veículo de Shakti, a Deusa do poder e força. Shiva está acima e além de qualquer tipo de força. Ele é o seu mestre e carrega a pele do tigre como um símbolo de sua vitória sobre qualquer tipo de força.


•Cobras ao redor do pescoço:


Shiva está além do poder da morte mesmo quando cercado por ela. Esse aspecto é enfatizado também pelo seu nome de Nilakantha, o único Deus capaz de tomar o veneno mortal para livrar o universo de seus efeitos. Agora, essas cobras ao redor do pescoço representam a energia básica adormecida que todos possuímos, a Kundalini.

•Lua Crescente no cabelo:


Ele usa na sua cabeça um diadema do quinto dia de lua crescente. Situada próximo ao seu feroz terceiro olho, ela demonstra o poder de Soma, a oferenda sacrifical, que é representativo da lua. Isso significa que Shiva possui o poder da pro-criação coexistindo com o da destruição.

Cabelo amarrado:


O coque enrolado em espiral de Shiva, chamado de “Jata” na Índia, representa Shiva como o Senhor do Vento, Vayu, que é a forma sutil de respiração no planeta.

O Sagrado Rio Ganges:


O mais sagrado dos rios sagrados, chamado Ganga, fluindo do topo da cabeça de Shiva, representa as águas causais, das quais o mundo surgiu. Ele também representa o instrumento fundamental de purificação ritual. Suportando o Ganges em sua cabeça, Shiva permite que o Rio desça do paraíso e venha em direção à Terra, purificando o planeta e os seres vivos.

O Tridente


O Trishula de Shiva é o símbolo das três funções de Criador, Preservador e Destruidor. Ele também representa o instrumento de punição aos seres maléficos em todos os três planos (espiritual, sutil, e físico).

Nas representações populares, Shiva é majestosamente colocado no centro do Universo, adornado com todos esses símbolos. Frequentemente a figura de uma face feminina adorna o topo da sua cabeça, ela é Gangadevi, a divindade do Rio Ganges. Esse rio foi trazido dos céus pelo sábio Bhagiratha, e como a Terra não podia suportar a força da torrente do Rio, Shiva se ofereceu para recebê-lo no topo de sua cabeça, amortecendo a sua queda e permitindo que o Rio abençoasse o planeta. Algumas vezes Shiva é representado montado em seu touro Nandi, coberto de cinzas pelo corpo, e seus olhos inflamados de intoxicação divina, segurando um tambor e um chifre em ambas as mãos. As cinzas pelo corpo representam a característica de Yogi de Shiva, que queimou todos os seus desejos mundanos e esfregou em seu corpo as cinzas do fogo sacrifical.

Shiva representa o ciclo completo de geração, destruição e regeneração. A múltipla natureza desse Deus está refletida em seus 1008 nomes dados pelas escrituras.

Om Namah Shivaya!



Pesquisa feita por Ceu Azul Xamanismo

Mantras:





terça-feira, 28 de agosto de 2012

Mantras II







Os mantras, ou canto simples, são frases curtas repletas de energia e sentido especialmente destinadas a gerar ondas poderosas de som que promovem a cura, a visão intuitiva, a criatividade e o crescimento espiritual (Ashley-Farrand, 1999).


Etimologicamente, a palavra mantra deriva da raiz MAN e do sufixo TRA.
MAN por sua vez deriva da palavra MANAS (mente) e significa pensar: TRA indica instrumentalidade e deriva da palavra TRANA, que significa controle. Podemos dizer que mantra é uma combinação de sons que nos auxilia a controlar a própria mente. Num sentido mais amplo, pode ser definido como uma combinação de sons, feita dentro de uma certa disposição rítmica, com o fim de emitir vibrações sonoras que produzam efeitos determinados sobre a mente humana e sobre o ambiente.





Um mantra pode ser emitido de diversas formas, tais como:

1. Através de KIRTANS – vocalizações devocionais de forma extrovertida. É uma maneira celebrativa de entoação que envolve a dança.

2. Através de JAPA – repetições contínua e ininterrupta de um mantra. Neste caso sem melodia. Sua finalidade é induzir a parada do pensamento, sendo assim de efeito introspectivo. Essa prática é feita com uma espécie de rosário de 108 contas, conhecido como JAPA MALA.

3. Através de MANAS – a mentalização de um mantra. Este meio é mais eficiente que a vocalização, por não ser audível.












OM OM OM

YOGENA CHITTASYA PADENA VACHAM

MALAN SHARIRASYA

CHA VAIDYAKENA

YOPAKAROTTAM PRAVARAM MUNINAM

PATANJALIM PRANJALIRANATO’SMI

ABAHU PURUSAKARAM

SHANKHA CHAKRASI DHARINAM

SAHASRA SHIRASAM SVETAM

PRANAMAMI PATANJALIM

HARI OM
Agradecemos e demonstramos nosso respeito a Patanjali que nos legou o Yoga para a evolução da consciência a serenidade da mente o medicamento do corpo a perfeição da saúde a pureza da palavra e o autoconhecimento.

Clique aqui para ouvir este mantra








OM BHÚR BHUVA SVÁHÁ

TAT SAVITUR VARENYAM

BHARGO DEVASYA DHIMAHI

DHIYO YO NAH PRACHODAYAT



Om comtemplemos o esplendor do Sol vivificante, presente na terra, na atmosfera e no céu. Que ele inspire nossa visão (nosso pensamento) e o brilho da iluminação.

Clique aqui e leia o significado de cada palavra deste mantra.

sábado, 25 de agosto de 2012

O QUE É BUDISMO ?

 



O buddhismo (ou simplemente budismo) é o conjunto de tradições religiosas que surgiram a partir dos ensinamentos de Buddha. Ele não inventou estes ensinamentos — o Dharma —, mas sim re-descobriu verdades atemporais que já tinham sido ensinadas pelos seres iluminados das eras passadas. Atualmente, o buddhismo é a religião mais difundida na Ásia, onde conta com aproximadamente 300 milhões de seguidores. Os primeiros contatos do buddhismo com o Ocidente aconteceram há muito tempo, mas somente a partir do século XIX é que houve um interesse maior por parte dos ocidentais.

--------------------------------------------------------------------------------

O buddhismo é religião, uma filosofia, um sistema de psicologia?


A tradição buddhista abrange e transcende todos estes aspectos. Como religião, o buddhismo procura nos "religar" (re-ligare) à nossa verdadeira natureza. Como filosofia, o buddhismo enfatiza o "amor à sabedoria" (philo-sophia) no sentido mais elevado. E como psicologia, o buddhismo oferece um vasto "conhecimento da mente" (psykhe-logos). Acima de tudo, o buddhismo oferece um caminho que conduz ao fim do sofrimento.

--------------------------------------------------------------------------------

O buddhismo é uma ciência?


Às vezes o buddhismo é descrito como uma "ciência da mente", no sentido de oferecer um sistema de conhecimento profundo do funcionamento da mente. Os métodos usados pelo Buddha para analisar a natureza das coisas são praticamente científicos. Seus ensinamentos surgiram a partir da profunda contemplação das leis naturais de causa e efeito e podem ser atestados por qualquer pessoa, independente de suas crenças. O próprio Buddha recomendou que seus discípulos devem analisar os ensinamentos e não simplesmente aceitá-los por mero respeito.

--------------------------------------------------------------------------------

Quem é o chefe do buddhismo?


O buddhismo não possui uma hierarquia centralizada; cada tradição possui a sua própria estrutura organizacional. Muitos pensam que Sua Santidade o Dalai Lama, Tenzin Gyatso, é o "chefe" do buddhismo. Na verdade, Sua Santidade é o líder espiritual do povo do Tibet, ocupando uma importante posição dentro tradição tibetana Gelug. Entretanto, o Dalai Lama não é "chefe" do buddhismo, pois este posto sequer existe. Muitos praticantes buddhistas de outras tradições buddhistas e não-buddhistas têm grande respeito por ele.

--------------------------------------------------------------------------------

Como são os ensinamentos buddhistas?


Há algumas características que permeiam os ensinamentos de Buddha. Qualquer ensinamento que esteja de acordo com estas características pode ser considerado buddhista: todas as coisas

Índia e seus Simbolos



Uma das civilizações mais antigas do nosso planeta, a Índia é um país de contrastes. A diversidade de línguas, hábitos e modo de vida não impedem que haja uma grande unidade na cultura do país. Ao mesmo tempo que cada estado tem seu próprio modo de expressão, como na arte, música, linguagem ou culinária, o indiano é profundamente arraigado ao sentimento de amor à sua nação e tem orgulho de sua civilização ancestral, o que mantém vivas até hoje muitas tradições.


Talvez pela profusão de deuses adorados por diferentes segmentos da sociedade, a tolerância religiosa é algo inerente aos indianos acostumados a conviver com a diversidade, como as línguas diferentes faladas muitas vezes por vizinhos. Nos dias de hoje ocorrem conflitos religiosos, mas isso não pode ser considerado característico.

São muitos símbolos, muitas deidades, muitos rituais. A maioria é relativo ao Hinduísmo, que ainda é a religião com mais seguidores na Índia, seguido pelo Islamismo e o Budismo. O Hinduísmo é tão antigo quanto a civilização da Índia, tanto que a palavra "hindu" é erroneamente usada para dizer " indiano", e toda a simbologia é vista pelos outros países como se representasse a própria Índia.


"Por quê Ganesha tem cabeça de elefante? Porque algumas pinturas mostram os deuses e deusas com tantos braços? "Não podemos entender a Índia sem entender o significado de símbolos como o Om e o lótus, que revelam fatos sobre a cultura do país, desenvolvidos por centenas de milhares de anos. Apenas aqueles que estudaram a cultura intensamente podem entender o significado intrínseco desses símbolos, mas é uma obrigação moral de todo indiano se dedicar ao conhecimento da simbologia cultural da Índia.

Símbolos

A principal mensagem dessa cultura é a aquisição de conhecimento e a remoção da ignorância. Enquanto a ignorância é como a escuridão, o conhecimento é como a luz.


A lamparina tem muita importância como símbolo pois, tradicionalmente feita de cerâmica, representa o corpo humano porque assim como o barro, também viemos da terra. O óleo é queimado nela como um símbolo do poder da vida. Uma simples lamparina quando imbuída desta simbologia chama-se deepak e nos dá a mensagem de que toda e qualquer pessoa no mundo deve remover a escuridão da ignorância fazendo o seu próprio trabalho. Nos templos, sempre se oferece uma chama, significando que tudo que fizermos é para agradar a Deus.







O Om representa o poder de Deus, é o som da criação, o princípio universal, entoado começando todos os mantras. Diz-se que os primeiros yoguis o ouviram em meditação, e esse som permeia o cosmos. É o número um do alfabeto, é o zero que dá valor aos números, é o som da meditação.


A flor de lótus, presente em muitas imagens, devido ao fato de crescer na água pantanosa e não ser afetada por ela representa que devemos ficar acima do mundo material apesar de viver nele. As centenas de pétalas do lótus representam a cultura da "unidade na diversidade".

As divindades, com seus muitos braços, cada um deles carregando objetos ou armas, símbolos em si, como o lótus, livro, indicam as direções, a maioria representa os quatro pontos cardeais: norte, sul, leste e oeste.

Religião
Outra coisa que é absolutamente importante para entendermos a cultura indiana é a crença na reencarnação, que para os hinduístas, assim como para muitas outras religiões, é um preceito básico e incontestável. Somente considerando isso é que um ocidental pode entender o sistema de castas.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Tao Te King




O Tao Te Ching (道德經), ou Dao de Jing, comumente traduzido pelo nome de “O Livro do Caminho e da sua Virtude” , é um dos antigos escritos chineses mais conhecidos e importantes. A tradição diz que o livro foi escrito em cerca de 600 a.C. por um sábio que viveu na Dinastia Zhou chamado Lao Tzi (“Velho Mestre”), como um livro de provérbios relacionados com o Tao , e que acabou servindo como obra inspiradora para diversas religiões e filosofias, em especial o Taoísmo e o Budismo Chan (e sua versão japonesa o Zen).
Como a maior parte das figuras mitológicas dos fundadores de religiões , a vida do escritor do Tao Te Ching , Lao Tzu é envolto em lendas. Segundo a tradição Lao Tzi nasceu no sul da China cerca de 604 a.C sendo superintendente judicial dos arquivos imperiais em Loyang, capital do estado de Ch’u. Desgostoso pelas intrigas da vida na corte, Lao Tzi decidiu afastar-se da sociedade seguindo para as Terras do Oeste. Montado em uma carroça guiada por um boi , seguiu viagem, mas ao atravessar a fronteira, um dos seus amigos, o policial Yin-hsi, o reconheceu e lhe pediu que escrevesse seus ensinamentos antes de partir. Lao Tzi então escreveu o pequeno livro conhecido posteriormente como o Tao Te Ching , e partiu em seguida. Segundo a história, morreu em 517 a.C. Lao Tzi foi canonizado pelo imperador Han entre os anos 650 a.C. e 684 a.C

Os mais recentes estudos apontam para que o Tao Te Ching tenha sido escrito por Lao Tzi entre 460 a.C. e 380 a.C. Algumas lendas dizem que o Tao Te Ching estava gravado numa série de réguas de bambu. O texto ia passando de uma régua para outra e, como entretanto elas foram baralhadas, ninguém sabe hoje a sua ordem exata.

Este livro não originou o Taoísmo nem o conceito de Tao: tais já eram de uso corrente antes da escrita do livro. Mas ele serviu como obra de apoio para as religiões que aderiam à idéia do Tao (Caminho) como a base da existência de todas as coisas.

As diversas correntes do pensamento religioso e filosófico através dos tempos atribuiram milhares de interpretações diferentes ao sentido do Tao Te Ching. Porém , o tema principal do livro é localizado em seu primeiro provérbio: “O Tao que pode ser dito não é o Tao Verdadeiro”. O Tao Te Ching situa a origem de todas as coisas no Tao (Caminho, Senda), que longe do conceito de Deus nas religiões deístas, é um príncipio inimaginável, ininarrável, eterno e absoluto, que não pode ser compreendido, já que qualquer tentativa de classificá-lo, cria uma dicotomia que não pode existir em algo Eterno e Absoluto. Já que o Tao não pode ser compreendido, o Tao Te Ching enfatiza que não existem meios de manipulá-lo. Logo os seres devem viver uma vida simples, sem grandes questionamentos morais ou filosóficos, onde se enfatize o “não-agir” (a “não-acção”,wu wei, 無為 ), isto é, deixar-se guiar pelo curso natural e lógico dos eventos do universo. O homem que seguir este príncipio acaba liberto das vicissitudes da vida, e se torna o “Homem Santo” celebrado no Taoísmo.

Uma filosofia deste tipo, logicamente quebra todos os conceitos e tentativas do homem controlar seu destino e demonstra que toda tentativa de se criar uma religião, uma sociedade política ou moral acaba sempre sendo infrutífera.

[editar] Cosmogonia no Tao Te Ching

As ideias cosmogónicas e metafísicas do Tao Te Ching de acordo com algumas ramificações do taoísmo podem ser definidas da seguinte forma:

Tudo nasce do vazio indiferenciado, imensurável, insondável, que nunca pode ser exausto: «o Tao sem nome», que se move em torno de si mesmo sem parar. Deste «Tao sem nome» (que não existe) nasce o que existe (e tem nome): O Caminho (Tao). Não vemos o Tao como Um por causa dos nomes com que designamos o que vemos com os nossos sentidos – as «dez mil coisas» (O caracter chinês que significa «dez mil» Ficheiro:Tenthousandchinese.jpgé usado, como aliás também no grego, para significar uma míriade, ou seja, um número grande e indefinido.) É com o aparecimento dos nomes que aparecem todas as coisas e o Um se transforma em muitos.

A Virtude (Te) é a manifestação do Tao através da sua misteriosa operação: o chamado «agir não agindo» – a acção involuntária que caracteriza a natureza das coisas – «O modo de Caminhar».
Lao Zi

A partir destas ideias cosmogónicas e metafísicas, Lao Tzi deduz um sistema de moral e regras de conduta que tem por objectivo conformar as acções humanas com a ordem natural do Universo. O Homem nasceu do Tao mas depois começou a desviar-se dos seus atributos, ou seja, perdeu a Virtude – o saber como Caminhar. É uma queda que lembra a queda que se seguiu à expulsão de Adão e Eva do Paraíso, segundo a Bíblia. O Caminho do Tao é o caminho de volta ao estado de graça em harmonia com o Tao (o chamado «regresso precoce»).

Tao é normalmente traduzido como Caminho ou Via. Mas apenas por parecer ser «o melhor que se pôde arranjar». De facto, o caminho não se distingue do caminhante ou do caminhar. Não há criador. O universo (o Céu e a Terra) apareceu (e aparece continuamente) a partir do Tao primordial. O que existe aparece do que não existia antes e é eterno. O universo é como um organismo vivo resultante da expansão vitalizada do Tao (a ordem natural, a providência). O Tao manifesta-se continuamente no fluxo e refluxo constante de todas coisas que existem e que foram criadas pela sua actividade.

O Tao não tem personalidade. O que vitaliza o universo são dois princípios ou substâncias que combinados são o Tao: o yang (luz, calor, criativo, masculino) – que existe especialmente concentrado no Céu – e o yin (sombra, frio, receptivo, feminino) – que existe especialmente concentrado na Terra.

Vários filósofos taoístas chineses entendem os versículos que expõem as ideias cosmogónicas sobre o início do universo como sendo, de facto ou também, a descrição do modo como a consciência da realidade externa emerge na nossa mente.

Quando vemos uma cor ou ouvimos um som, há um momento breve inicial em que o nosso cérebro ainda não fez um julgamento sobre a nossa percepção; não sabemos ainda que som ou cor é, nem sequer temos ainda uma consciência clara que estamos a ouvir ou ver alguma coisa. Estamos no domínio «do sem nome», do vazio indiferenciado que nunca pode ser exausto ou descrito. Depois, quando emerge a consciência e o pensamento, que tem por base a linguagem, passamos ao domínio «do que tem nome» e vemos então todas coisas diferenciadas, cada uma com o seu nome. É com o aparecimento dos nomes que aparecem todas as coisas e o Um se transforma em muitos.

Em termos mentais, o Caminho do Tao é o caminho de volta a esse breve «estado de graça» inicial. Um estado em que qualquer trabalho mental interior é eliminado e em que regressamos à nossa espontaneidade natural. As práticas dos Budismos Chan e Zen, que tiveram a sua origem nas ideias taoistas, têm como objectivo exactamente atingir esse estado mental primordial de fusão paradoxal com o Um.

http://tilesexperts.com/wordpress/tao-te-king/

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

MEDITAÇÃO, APRENDA

M A R A V I L H O S O eh a minha opinião sobre esse vídeo, sem mais, assistam e coloquem em pratica eh uma das melhores coisas que você pode fazer por você mesmo. =)


♥  ॐ नमस्ते ॐ ♥ Namaste ॐ ♥


sábado, 11 de agosto de 2012

Meditação muda estrutura do cérebro





Estudo de Harvard mostra, pela primeira vez, que a prática pode aumentar a concentração de massa cinzenta

Ressonância magnética exibiu variações em áreas ligadas a estresse, aprendizagem e à regulação de emoções

De olhos fechados, em silêncio e, de preferência, sentados, os praticantes da meditação de atenção plena devem se concentrar em apenas uma coisa: a respiração.

A técnica é antiga, da tradição budista, mas começou a ser mais difundida depois de ter sido usada em um curso não religioso de redução de estresse, criado em 1979 por Jon Kabat-Zinn, professor da Escola Médica da Universidade de Massachussets.

Os benefícios da técnica, conhecida também como "mindfulness", já foram relatados em vários estudos.
A lista vai da melhora de sintomas de esclerose múltipla (como diz estudo publicado na "Neurology") à prevenção de novos episódios de depressão (demonstrada em artigo na "Archives of General Psychiatry").

Mas, agora, um estudo mostra, pela primeira vez, os efeitos provocados por essa meditação no cérebro.
A pesquisa, publicada hoje na "Psychiatry Research: Neuroimaging", foi feita pela Harvard Medical School, nos EUA, em conjunto com um instituto de neuroimagem da Alemanha e a Universidade de Massachussets.

domingo, 29 de julho de 2012

Os Chakras II




Como vimos AQUI, nós somos vibração. Tudo é vibração, e tudo é impermanente, pois tudo está o tempo todo em movimento. Nossa mente também está movimento, e movimento precisa de harmonia para criar eficiência. Harmonia é ritmo. Assim, afinamos nossa mente como afinamos um instrumento musical, até que ela funcione em harmonia e emita um "som afinado". Perguntem a um audiófilo como deve ser a colocação das caixas de som de um home theater. Os graves ficam melhor se estiverem embaixo, sem concorrência sonora, enquanto os médios e agudos são melhor percebidos se atingirem diretamente o ouvido (direcionados pra linha do ouvido, nem mais alto, nem mais baixo). O conjunto final é harmonioso, completo, pois o TODO (que é a sala) vai estar imerso nas mais diversas faixas sonoras, sem que uma elimine a outra (diversas frequências ocupando o mesmo lugar no espaço, que é mesmo princípio pelo qual temos sobreposto ao nosso corpo físico o corpo Etérico e o Astral).
Assim, aquele que sabe controlar a vibração pode transformar as coisas ao seu redor, ou quem sabe até criar. Toda oração é invocação ou chamado. Toda palavra/som, primeiramente influi no corpo de quem o emite, e só depois alcança seu objetivo externo. É por isso que tudo que desejamos (e pela palavra cristalizamos) para o próximo, a nós mesmos estamos desejando. De toda palavra inútil teremos que prestar conta. Nossa palavra é nossa lei.
Os mantras são palavras ou sons especiais, que se criam por meio do ritmo e da nota-chave de cada pessoa. O nosso íntimo (Atman), de acordo com nossos pensamentos e aspirações puras, pode nos dar a verdadeira pronúncia das palavras "sagradas". O poder magnético da palavra humana é conhecido pelos estudiosos do oculto. Por isso, dar nome a uma pessoa é definir sua vibração magnética exterior, é entregar seu destino a uma ou mais potências ocultas (dar nome a um filho, então, é um ato de extrema responsabilidade, pois é como dar um "selo energético" para toda aquela encarnação da pessoa).

Noções Básicas sobre os Chakras! Chakras e Nádis - Chakra é a denominação sânscrita dada aos centros de força existentes nos corpos espirituais do homem; também são chamados lótus ou rodas. Quando eles estão inativos assemelham-se a rodas; quando despertam, eles tomam a aparência de uma flor (lótus) aberta, irradiante, colorida pela freqüência da energia das pétalas.
Muita gente acha que os chakras são apenas sete, como nos diagramas, mas praticamente cada poro do corpo é correspondente a um chakra no corpo etérico (também chamado de "duplo etérico"). Esses chakras são interligados por uma vastíssima rede de canais, chamados nadis, que por sua vez estão ligados às glândulas endócrinas do corpo físico

No Mundaka Upanishaddefine-se o chakra como o local onde os nádis (que são como veias energeticas do seu corpo astral) se encontram como os raios no cubo de uma roda de carruagem". Os centros são formados pelo encontro destas linhas de força (nádis), do mesmo modo que osplexos, no corpo físico, são formados pelo encontro de nervos.

Nossa mente trabalha com as mais diversas faixas vibratórias (freqüências), até porque nosso corpo foi criado para captar e processar todas essas energias. Esses receptores são os chakras, que só são visíveis por sensitivos (pois ficam no corpo etérico). Eles captam as energias que nos circundam no etérico, astral e mental e, como um transformador, a "convertem" pra um padrão que o corpo possa assimilar.

Os nadis principais são chamados de Ida (Que vai da narina esquerda ao chakra básico. Qualidades: Frio, introspectivo, feminino, Yin) e Pingala (Que vai da narina direita ao chakra básico. É uma energia ativa, masculina, Yang), por onde descem o prana captado pela respiração (que é o meio mais normal de se abastecer de prana, mas não o único). Elas partem de um ponto entre as sobrancelhas e descem pelo corpo até o chakra básico, onde fica em estado latente a energia Kundalini.
Muito se fala sobre os perigos da ativação da Kundalini, e não sem razão. É preciso haver uma "maturidade energética" para que o corpo etérico desenvolva o canal Sushumna, que se sobrepõe à coluna vertebral e é por onde vai ascender a Kundalini. Se esse canal não estiver pronto, a energia descontrolada irá subir pelos nadis Ida e Pingala, que não foram feitos para agüentar uma energia tão forte (equivalente a ter energia de alta tensão correndo por fios caseiros) e poderá trazer seqüelas, como desarmonia, doenças, e até mesmo a loucura. Além do "corpo", é preciso equilibrar a mente, pois a ascensão da Kundalini simboliza o encontro do Céu com a Terra, a energia Creadora, sutil, Divina, que vêm do chakra Coronário (topo da cabeça), com a energia Criadora e poderosíssima da Mãe Terra: pensamento e ação em perfeita harmonia.


Representação dos canais (nadis) Pingala, Sushumna e Ida (da esq. para a dir.), com a ascensão da energia da Kundalini do chakra básico até o coronári
Claro que qualquer desequilíbrio provocará um mal. O excesso de energia sutil poderá atrapalhar o funcionamento do corpo em certas funções, o que é ruim, mas resolvível, enquanto o excesso da Kundalini irá afetar logo a mente, o que é bem mais difícil de solucionar, podendo trazer consequências danosas. É por isso que os verdadeiros Mestres não incentivam o desenvolvimento da Kundalini de forma artificial, e sim pela vivência e aprendizado, pois este é um processo natural (evoluir é o nosso destino, mas cada um a seu tempo). Na física, o espectro visível da luz é decomposto em sete cores primárias, e o que define essas cores é a sua freqüência de ondas (vibratória). A freqüência mais alta (Violeta) "vibra" com mais intensidade, ou seja, tem movimentos de onda muito mais rápidos (pois o comprimento de onda é mais curto, fazendo com que mais ondas aconteçam num menor espaço de tempo). O inverso é verdadeiro para a freqüência mais baixa (Vermelho). Sabemos que, quanto mais rápida é a velocidade das moléculas, mais sutil e sem forma (amorfa) se torna a matéria. Tomemos o gelo, por exemplo, que tem uma velocidade de moléculas mais baixa do que a água líquida, e esta, por sua vez, possui uma velocidade/freqüência mais baixa do que a das moléculas do vapor.


Na metafísica também é assim, muito embora não possamos definir em termos científicos a faixa de freqüência onde opera cada chakra simplesmente porque o mundo espiritual não é (ainda) algo que seja mensurável, seja com experimentos diretos ou indiretos.
Os chakras "decodificam" cada um uma certa freqüência de energia (e cada uma delas é necessária ao bom funcionamento do corpo), e o que os clarividentes vêem são cores, numa escala análoga a das notas musicais. Então, por exemplo, o chakra que trabalha com as energias mais densas (Muladhara) fica na parte inferior do corpo, e vibra na cor que podemos perceber como vermelho.